terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Em oito capítulos, minissérie O Brado Retumbante estreia hoje na Globo

O Brado Retumbante, minissérie de Euclydes Marinho, estreia hoje na Globo. Em oito capítulos de 45 minutos, vai ao ar de segunda a sexta-feira, 17 a 27 de janeiro, após o Big Brother Brasil 12.

Paulo Ventura (Domingos Montagner) jamais imaginou que um dia seria presidente de qualquer coisa, quem dirá do Brasil. Na verdade, nunca desejou isso. Formado em direito, tem como característica a firmeza na hora de defender suas ideias. Engajado e com vocação para liderança, elege-se deputado.

Chefiados pelo Senador (Luiz Carlos Miele), um emblemático político na cena brasileira, um grupo de velhas raposas da política articula para que o deputado Paulo Ventura se torne presidente da Câmara. A intenção, porém, era manipulá-lo e retirá-lo da oposição ferrenha que fazia ao governo.

Entretanto, um acidente aéreo mata o presidente da República e seu vice. Ventura se vê obrigado a assumir o país. Sem tempo para pensar, ele assume sabendo que em 15 meses não conseguirá realizar nenhuma das grandes e necessárias reformas de que o Brasil necessita. Decide concentrar a sua energia principalmente no combate à corrupção. E Paulo tem pressa em desmontar o que ele chama de "Estado paralelo" - a soma dos diversos esquemas montados para sangrar os cofres públicos através de superfaturamento, desvios de verbas, licitações fraudulentas e roubos de todas as espécies. Ele, então, enfrenta de frente as mazelas do governo.

Em plena crise conjugal, ele buscará na esposa Antonia (Maria Fernanda Cândido) o apoio necessário para cumprir o seu curto e inesperado mandato. Extremamente inteligente, essa professora de história finge acreditar nas falsas promessas de amor do marido e mantém com discrição e sensatez todas as aventuras de Paulo Ventura. Talvez em nome dos mais de 20 anos que viveram juntos, talvez pelo país e pela vontade de acertar ou talvez pelo amor que ainda sente por ele.

Fora do gabinete presidencial, Ventura se vê às voltas com conflitos familiares, um prato cheio para a imprensa. Julieta (Maria do Carmo Soares), uma mãe mentalmente atormentada e que parece não ter outro prazer a não ser infernizar a vida dos que a rodeiam, é uma pedra no sapato do filho. Beijo (Otávio Augusto) é um tio que tenta, de qualquer jeito, se dar bem às custas do "parente presidente". Com os filhos, a relação é ainda mais delicada. A primogênita, Marta (Juliana Schalch), é uma menina mimada e explosiva. E Julio (Murilo Armacollo) exige do pai uma compreensão que Paulo não é capaz de oferecer. Depois de anos longe de casa, ele retorna como a transexual Julie.

Logo em seu discurso de posse, Paulo Ventura se compromete em manter um canal constantemente aberto com a população através de seu blog - Sonho Intenso. É através desta ferramenta que o presidente vai apresentar os seus projetos e revelar os esquemas de corrupção e fraudes que rondam o governo. Mas é também por meio da internet que ele recebe duras críticas, exatamente por não ter papas na língua e dar nome aos bois envolvidos em politicagens.

Uma das primeiras medidas internas de Ventura é ordenar uma vigilância constante a alguns notórios bandidos, entre eles um antigo amigo, Floriano Pedreira (José Wilker), ministro da Justiça do finado presidente. Em vez de demiti-lo, o desejo de Paulo é vê-lo na cadeia. Na primeira oportunidade em que fica cara a cara com o político, e as cartas são postas na mesa, Paulo é desafiado pelo seu algoz.

O jogo é duro. Apesar de não ser ingênuo, Paulo nunca foi capaz de imaginar que suas aventuras amorosas pudessem sair do âmbito pessoal para virar manchetes de jornais e combustível para chantagens. A exuberante Alessandra (Alinne Rosa), um dos relacionamentos extraconjugais do presidente, é o melhor exemplo disso. Esposa de um senador baiano, ela sugere largar o marido ao anunciar uma suposta gravidez. Mas seus planos vão por água abaixo após saber que o preço por se envolver com Ventura pode ser alto demais.

Outros personagens da minissérie:
Tony (Leopoldo Pacheco) é apaixonado por Marta, o que justifica a sua paciência com os chiliques da esposa. Tony é um empresário de sucesso e é dedicadíssimo ao trabalho. Ele se dá bem com Paulo Ventura, mas não compartilha das ideologias do sogro.
Saldanha (Cacá Amaral) é um homem inteligente, sagaz e fiel. Além de um grande amigo e confidente, é o chefe de Gabinete de Paulo.
Fernanda (Mariana Lima) é a interlocutora entre a presidência e o Congresso. A deputada é feminina e charmosa, mas mantém uma postura firme e decidida. Fernanda esconde um segredo que a tira do eixo, a paixão por Paulo Ventura.
Werneck (Valter Santos) é um coronel do exército e chefe de Inteligência da presidência. Fala pouco e só revela o que pensa para Paulo. É um sujeito fiel ao presidente.
Oscar (Francisco Gaspar) é mais que um garçom do palácio. Além de servir ao gabinete, ele trabalha na ala presidencial. Paulo conversa muito com Oscar e, por isso, Antonia tenta, sem muito sucesso, arrancar alguma confidência do garçom.
Claudia (Ramona Zanon) é a eficiente secretária pessoal de Ventura. É discreta e talvez por isso finge que não percebe os ciúmes da primeira-dama.
Laurinha Leão (Lolo Souza Pinto) é a governanta do palácio presidencial. Diante de Antonia é séria, mas quando está sozinha com Paulo, se faz de mulher envolvente.
Otacílio Júnior (Jui Huang) é analista de sistemas e subsecretário de Inteligência. Não existe nada no universo da informática que seja indecifrável ou inatingível para ele.
Isabel Pessanha (Cecilia Homem de Mello) é discreta e prestativa, ocupa o cargo de secretária da presidência. Isabel desperta a desconfiança de Saldanha, mesmo sem nenhum motivo aparente.
Barata (Paulo Ivo) é formado em jornalismo e ocupa o cargo de porta-voz da presidência.
Jonas (Waldeck) e Djalma (Zeca Carvalho) são seguranças da presidência.


Josivan (Chico Expedito) é deputado e se envolve em uma armação que pretende derrubar Paulo Ventura do poder.
Pachequinho (Fabio Espósito) e Bodelér Sampaio (Francisco Carvalho) são deputados e cupinchas do Senador.
Lucia Wolf (Cristina Nicollotti) é jornalista e seu trabalho e postura isenta quando fala sobre política chama a atenção de Paulo.
Regina (Ida Celina) é terapeuta de Antonia.
Fátima (Marina Elali) é intérprete de um chefe de estado, e acaba cedendo às investidas do presidente.
Mourão (Hugo Carvana), um antigo presidente que fez um péssimo governo, aposta em Paulo Ventura como uma saída para a recuperação do país.
Martín (Daniel Kuzniecka) é um argentino por quem Antonia se apaixona.
Professora Neide (Sandra Corveloni) se envolve em um escândalo relacionado ao Ministério da Educação.
Thelma (Cristine Peron) é a médica responsável pelo presidente, com quem terá um breve envolvimento.
Emir (Chami Yunes) é o chefe de estado dos Emirados Árabes.
Alaor (Ricardo Corte Real) é candidato do governo à sucessão de Paulo Ventura.
Helmult (Carlo Briani) ocupa o cargo de Ministro da Agricultura.
Alarico Ferrão (Geronimo Santana) é senador, marido de Alessandra.
Guilherme (Leonardo Machado) é professor e amigo de Antonia.
Navarro (Edgardo Roman) é presidente da Bolívia do Sul.

O Plano de Patrocínio disponibiliza duas cotas nacionais que incluem 46 inserções, sendo dois comerciais de 30 segundos, por R$ 1.950.000,00.
Duas cotas foram comercializadas, uma para Reckitt Benckiser (Vanish) e outra para Procter & Gamble (Gillette).

O Brado Retumbante é uma obra escrita por Euclydes Marinho com a colaboração de Nelson Motta, Guilherme Fiuza e Denise Bandeira. A direção de núcleo é de Ricardo Waddington e a direção geral é de Gustavo Fernandez.


O Brado Retumbante estreia dia 17 de janeiro, às 23h30.
Vai ao ar em 8 capitulos, de terça a sexta, após o Big Brother Brasil 12.
Minissérie exibida em alta definição (HD) e classificação indicativa: 14 anos.


Com informações da Diretoria de Comunicação Transmídia - CGCOM




blog comments powered by Disqus