segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Agência Reguladora só no papel, Anatel diz que o Brasil fechou o ano com 242 milhões de linhas móveis

Apesar da população brasileira não chegar a 191 milhões (IBGE/2010) de pessoas, o país fechou 2011 com 242,2 milhões de linhas de telefone móvel, de acordo com a ANATEL.

Os dados que acabam de ser divulgados mostram também houve um recorde no número de habilitações de linhas no ano passado, chegando a um total de 39.287.470, um crescimento de 19,36% se comparado com 2010.

A teledensidade, quantidade de aparelhos por habitante, chegou a 123,87.
No Distrito Federal essa marca passou de mais de duas (212,27) linhas por morador. O único estado que, em 12 anos, não passou alcançou a marca de uma linha por habitante é o Maranhão, lá a teledensidade é de 80,39.

Só no último mês de dezembro foram 6.147.888 habilitações. Para se ter uma ideia, esse número é superior a todas as habilitações nos anos de em 2001 (5,5 mi) ou de 2002 (6,1 mi).

Das 242.231.503 linhas, 81,81% - ou mais de 198 milhões – são pré-pagas e 18,19% - ou mais de 44 milhões – são pós-pagas.

82,37% das linhas operam com a tecnologia GSM, mas ainda existem mais de 1,5 milhão de linhas em CDMA.

Apesar dos números se referirem já ao ano de 2011, do total de linhas, apenas 16,96% são compatíveis ou fazem acesso à internet 3G.

Em relação à participação de mercado, os números mostram que mesmo apesar da gigantesca expansão do mercado, a líder Vivo continua caindo no Market Share. A Claro que há três anos ocupava a vice-liderança, foi ultrapassada pela TIM em agosto, resultado que se mostra realmente consolidado de 2011.

Esses números da ANATEL nem de longe representam o número real de linhas ativas e em uso, que é inferior a esse levantamento.

Mas a realidade...

A Agência também não reflete nesse relatório a situação caótica causada por um setor que praticamente vive sob as regras das próprias operadoras.

Os números da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABRTelecom), divulgados no último dia 09, mostram que só no ano passado 3,38 milhões de usuários migraram para outra operadora de telefonia móvel.
Esse montante é tão grande, que sozinho representa 38,36% do total (8,81 milhões) de migrações feitas do final de 2008 até o final de 2011.

Já os dados do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, DPDC, do Ministério da Justiça, divulgados na última sexta-feira, 13, são ainda piores.
Só em 2011 as quatro principais operadoras – VIVO, TIM, CLARO e OI - levaram 204.171 brasileiros aos 23 Procons estaduais e do DF.
Mas vale ressaltar que esse número assustador ainda é pequeno perto da realidade, uma vez que Procon está presente em apenas 212 dos 5.565 municípios do Brasil.

Ainda, esses números não consideram ações na Justiça e atendimentos por outras instituições de defesa do consumidor.

O que se contrapõem a isso é o lucro líquido dessas quatro empresas que, somado, só terceiro trimestre de 2011 chegou a quase 2 bilhões de reais.




blog comments powered by Disqus