terça-feira, 12 de julho de 2011

O Astro estreia hoje na Globo

Baseado na novela de Janete Clair que foi exibida originalmente entre 1977 e 1978, releitura de O Astro estreia na tela da Globo em uma série de 60 capítulos.

Toda mágica consiste em três atos. O primeiro é chamado “a promessa”: o mágico mostra um objeto ou ação comum, mas que, naturalmente, não é. O segundo ato é chamado de “a virada”: o mágico transforma o comum em algo extraordinário. Agora, se você está procurando o segredo, não vai descobrir, porque, na verdade, não quer! O terceiro ato é o grande truque, no qual a mágica se transforma, e a plateia se surpreende com algo realmente impressionante. É a hora do êxtase absoluto.

Alakazan! A fumaça se espalha, e a expectativa é grande. Olhos fixos nas brechas do nevoeiro. Está feito. O público estupefato se aperta nas cadeiras e cai nos encantos da ilusão. O êxtase é inevitável. Eis a mágica! É isso que eles desejam. “Todos os seres humanos querem ser enganados”, afirma Ferragus (Francisco Cuoco), um sujeito misterioso e sedutor, com quem Herculano (Rodrigo Lombardi) esbarra na cadeia e que se torna seu mestre na arte do ilusionismo.

Protagonista de O Astro, Herculano Quintanilha é um herói ambíguo e, por isso, humano. Ferragus é o mestre de Herculano durante os oito anos de prisão. Ao se separarem, Ferragus continuará aparecendo para Herculano, ora em pensamento, ora se materializando como um alter ego.

A saga do sonhador Herculano Quintanilha inclui ilusionismo, cobiça e sedução. Sem saber se o Professor Astro, como ficará conhecido Herculano em seus shows, é um trapaceiro ou realmente um homem com poderes fora do comum, todos acabam se envolvendo nos seus atraentes enigmas. Um sujeito que saiu de sua pequenina cidade natal dentro de um camburão para passar oito anos na prisão estadual, onde aprendeu tudo sobre ilusionismo e vidência, Herculano surpreende o destino e se torna a grande atração de uma sombria casa de espetáculos, no centro do Rio de Janeiro. E é nesta cidade que ele conhecerá dois personagens que mudarão o rumo de sua história: a sua paixão, Amanda Mello Assunção (Carolina Ferraz), e seu grande amigo, Márcio Hayalla (Thiago Fragoso). E também reencontrará Neco (Humberto Martins), um antigo desafeto.


Dono de uma loja de miudezas em Bom Jesus do Rio Claro, Herculano Quintanilha não para de sonhar. E, em meio a tantas fantasias, eis que surge uma ideia que mudará sua vida para sempre. O ano é 2002, em plena Copa do Mundo. A pequenina cidade não comporta as ambições de Herculano, que põe em prática um plano que é um primor de vigarice: arrecadar donativos para a reforma da Igreja Matriz e superfaturar a obra. O esquema é um sucesso. Herculano se vale da confiança do pároco Frei Laurindo (Sérgio Mamberti) e consegue que a cidade toda dê quantias substanciais para os reparos.

Herculano, porém, nem imagina o que Neco, seu parceiro, é capaz de fazer. No dia da fuga dos cúmplices, Neco se adianta e dá um golpe dentro do golpe. Herculano avista o amigo fugindo da cidade em sua caminhonete, levando não apenas o dinheiro, mas seus sonhos. Neco deixa o parceiro em um beco sem saída: depois de correr da população da cidade, ávida por vingança, Herculano se entrega, é preso e condenado.

Herculano chega à prisão estadual e é tomado de desespero quando se vê confinado. Numa das celas, surge um homem 30 anos mais velho que ele, é Ferragus, um sujeito preso há 15 anos.

Aos poucos, Herculano decide se aproximar de Ferragus e o velho prisioneiro decide ensinar seus segredos de ilusionismo. Herculano nunca sabe se ele está falando sério ou não, mas embarca nas suas ilusões. Por fim, ganha um presente de Ferragus do qual jamais irá se separar: uma ametista, falsa.


Oito anos se passam, Herculano ganha a liberdade e aparece no palco da casa de shows Kosmos, num sobrado da Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro. Ele agora é o Professor Astro, a principal atração de ilusionismo e telepatia. Na cabeça, um turbante, e, no centro do artefato, tilinta sua ametista. Ao lado dele, Valéria (Ellen Roche), sua ajudante hipnotizante. Essa é a nova vida de Herculano.

Durante um de seus espetáculos, o olhar do Astro se cruza com o de uma requintada mulher, e uma paixão avassaladora surge entre eles. Ela é Amanda Mello Assunção, herdeira da Construtora Mello Assunção, que está a ponto de falir. Amanda, que sempre foi cética, assiste ao show com ar blasé até que Herculano se aproxima e começa a revelar verdades, a princípio triviais, a respeito dela. Essas verdades vão, no entanto, se tornando cada vez mais específicas.

Ele advinha, por exemplo, que há alguma pessoa dilapidando o patrimônio de sua família. Como o pai de Amanda, Adolfo Mello Assunção (Reginaldo Faria), é um jogador compulsivo e fez muitas dívidas no pôquer que prejudicaram a empresa, ela dissimula, mas sente o golpe da revelação.

Como se não bastasse, Herculano pergunta a Amanda onde está o belíssimo colar que ela queria usar. Amanda fica perplexa ao lembrar-se da joia, que herdou de sua mãe e foi vendida pelo pai. Ela se levanta, encara o vidente e sai da Kosmos às pressas, mexida não só com as revelações, mas com uma sensação desconcertante. No carro, vira para Beatriz (Guilhermina Guinle) e diz: “Eu tenho a impressão de conhecer esse Herculano há milênios”.


Beatriz ouve a amiga e a acalma. Um homem bonito e sedutor daqueles mexe com qualquer uma, ela pensa. Ela vai para casa descansar, pois o dia seguinte será importante para o Grupo Hayalla, do qual é consultora jurídica. A rede inaugura mais um dos seus supermercados, num bairro nobre do Rio de Janeiro, com direito à presença de autoridades, celebridades e imprensa. No palanque montado para a festa, em posição de gala, está Salomão Hayalla (Daniel Filho), o patriarca da família.


De repente, um jovem de camiseta e jeans aparece e começa a distribuir dinheiro para o povo que está ao lado de fora da inauguração do novo supermercado. O púbico presente invade o supermercado e arremata todos os produtos que consegue pagar com o dinheiro recebido. O jovem que promoveu a ação é Márcio Hayalla (Thiago Fragoso), único filho e herdeiro do império de Salomão, que vendeu seu próprio carro para distribuir o pagamento à população.

Salomão Hayalla nunca deixou de sentir o peso da mala de mascate nas costas. Mesmo tendo se tornado muito rico, continuou trabalhando arduamente. E, apesar de ser um homem honesto, valoriza excessivamente o dinheiro. Essa é a grande diferença entre ele e seu filho. Márcio quer viver como um missionário, longe das seduções do mundo material, e abomina a hipocrisia e o culto ao dinheiro que reina em sua casa e sua família.

Salomão enxerga Márcio como uma pessoa que nunca se deu conta de que o dinheiro é a recompensa “efetiva” do trabalho. Já seu filho o vê como alguém que não se importa com os outros. Esses embates frequentes vão atingir o clímax com uma profunda ruptura entre os dois.

Em uma noite de festa na casa dos Hayalla, Clô (Regina Duarte) e Salomão recebem seus familiares, amigos, empresários e banqueiros para comemorar a inauguração do novo supermercado. Festa grande, bem ao gosto de Clô, esposa de Salomão. Os convidados circulam pelas salas. Um silêncio repentino toma conta do ambiente. Salomão, pasmo, vê Márcio descendo as escadarias tirando cada peça de roupa, até ficar completamente nu e declarar: “Pronto, pai! Agora sou um homem livre!”.

Pai e filho se enfrentam. Salomão acaba por reprimir Márcio, que, atônito, segue para seu quarto, sem saber que no dia seguinte será internado em uma clínica psiquiátrica.


A casa de espetáculos Kosmos, na qual Herculano Quintanilha faz seus shows, pertence a Natalino Pimentel, mais conhecido por Natal (Antonio Calloni), empresário nascido e criado no bairro da Penha. E foi justamente lá, onde Neco, ex-parceiro de Herculano no golpe de Bom Jesus, investiu o dinheiro que arrumou passando a perna em todo mundo, inclusive no próprio Quintanilha.

Neco comprou uma casa na Penha, inaugurou um salão de beleza e casou-se com Laura (Simone Soares). Só que a esposa não quis deixar desamparada sua mãe, Dona Consolação (Selma Egrei) e a irmã mais nova, a moça mais cobiçada do bairro, Lili (Alinne Moraes). Resultado: todos foram morar com o proprietário do salão Penha Fashion. Neco também tratou de aumentar a família, e teve os filhos Ernesto Jr., o Nequinho (Diego Kropotoff), e Kelly (Anna Luiza Anillo).

Como sempre teve alma de vigarista e explorador, Neco pôs a cunhada Lili a trabalhar no salão como manicure, mas não a remunera, porque, à sua lógica, Lili trabalha em troca de moradia e comida. Dona Consolação foi para a cozinha e agora faz quentinhas, apesar de o genro reclamar do transtorno que isso traz para o sossego do seu lar.


Todos olham quando ela passa. A beleza de Lili arrebata toda Penha. E Neco não se cansa de cobiçar seus encantos. Mas ela não é boba e sabe que o cunhado é de fato o príncipe dos canalhas. Para se proteger dele, aceita a corte de Natal, o poderoso da Penha. Como o aniversário dela se aproxima, Natal resolve oferecer à sua deusa uma boca livre na Kosmos para toda a sua família que, a contragosto da aniversariante, inclui o cunhado. O apogeu da noite é o show de mentalização do Professor Astro.


Herculano faz seu show na Kosmos, surpreendendo os presentes com suas adivinhações. Encanta-se particularmente com Lili, para quem prevê uma mudança radical. Mas, em seguida, reconhece Neco. O Professor Astro, então, “capta” a presença de um traidor e ladrão entre os presentes na casa. Neco veste a carapuça e sai em pânico da Kosmos.

Herculano vê a oportunidade de dar o troco em Neco. Ele ameaça revelar sua participação no roubo de Bom Jesus e, como pagamento pelo seu silêncio, consegue uma casa. Neco, a contragosto, passa a conviver de perto com o sucesso do bruxo, mas fará de tudo para atrapalhar a vida de seu antagonista.


Sem suportar mais as canalhices do cunhado, Lili vai trabalhar como operadora de caixa em um supermercado da Rede Hayalla, onde conhecerá o poderoso Salomão Hayalla. Salomão se apaixonará perdidamente por ela, porém, o verdadeiro amor de Lili ainda está por vir: Márcio, o filho de Salomão. Ao se sentir traído pelos dois, o poderoso Salomão Hayalla verá o amor se transformar em fúria.


Márcio foge da clínica psiquiátrica e passa a vagar pelas ruas do Rio, tocando seu trompete. Dias depois, com muita fome, não tem dinheiro nem para um salgado. Herculano vê a cena, se compadece e manda trazer comida para Márcio. Não tem a menor ideia de quem seja ele, mas Márcio desperta em Herculano o seu lado bom. É o acaso que patrocinará este encontro. Uma afinidade tão poderosa que parece provocada por um feitiço. Herculano acolhe Márcio em sua casa e, através da sua amizade com o herdeiro, se aproximará futuramente da família Hayalla, até se tornar admirado por todos. Ou quase todos.

Herculano descobre a verdadeira identidade de seu amigo Márcio e tenta reaproximá-lo da família, conquistando aos poucos a confiança dos Hayalla. A família, por fim, acredita em Herculano e pede que ele impeça Márcio de viver com os missionários, conforme os planos do rapaz. Herculano, sempre jogando, diz que podem contar com ele.


Enquanto isso, na mansão dos Hayalla, Salomão descobre que Clô e Felipe (Henri Castelli) são amantes. Felipe é filho de Nelson Cerqueira (Celso Frateschi), amigo de Salomão e um dos diretores da Construtora Mello Assunção, da família de Amanda. Felipe foi amigo de adolescência de Márcio, até se ligar a um grupo de jovens delinquentes de classe alta. Felipe se aproximou de Clô de olho em sua fortuna. Mas ela não sabe.

Diante da catástrofe econômica de sua família, Amanda pede a Nelson que consiga dinheiro emprestado com Salomão. Samir Hayalla (Marco Ricca), irmão de Salomão, vê nisso a grande oportunidade de se casar com Amanda. Pede que o irmão negue o empréstimo, pois assim terá Amanda em suas mãos. Mas, quando Cerqueira faz o pedido, Salomão concorda em ajudá-lo, desde que Cerqueira envie Felipe para fora do país.


Secretamente, Felipe volta ao Brasil e passa a exigir que Clô, sua amante, roube os documentos que o incriminam e que estão no cofre de Salomão. Clô aproveita uma ausência do marido e consegue pegar o dossiê no cofre. Na mesma noite, Salomão é encontrado morto, assassinado em circunstâncias misteriosas. A investigação policial toma conta da trama. Diversos são os possíveis assassinos, todos com motivos para matar o empresário.


Os irmãos Samir, Youssef (José Rubens Chachá) e Amin (Tato Gabus), apesar das divergências e suspeitas mútuas, se unem e pedem que Herculano convença Márcio a assumir o lugar do pai na empresa, enquanto Samir ocupa interinamente a presidência. Movido por sua ambição de poder, Herculano coage Márcio a assumir a presidência do grupo Hayalla e é nomeado por ele seu assessor. É o grande momento do Professor Astro: ele finalmente chegou lá.

O talento e o carisma de Herculano fazem com que ele ascenda a posições de grande poder dentro do grupo econômico. A suspeita de que seja um vigarista e os interesses contrariados fazem com que seus inimigos e rivais sempre procurem desmascará-lo. Em vão. Mas isso faz com que suas peripécias sejam cada vez mais mirabolantes e que o personagem se torne fascinante, abusando de sua ambiguidade e destreza para se equilibrar na corda bamba. Craque da estratégia, ele usa não apenas o ilusionismo, mas a inteligência, para manipular a todos.


O amor é rasgado, derramado. O romantismo está em todo lugar. Amanda e Herculano não entendem como viveram até agora sem se conhecer. Eles se apaixonam no primeiro olhar. Mas esse amor encontrará muitas pedras e percalços no caminho. Amanda não tem certeza se ele merece todo sentimento que tem por ele. Herculano tem certeza de que a ama e de que ficarão juntos. Ela acha que ele não a ama tanto assim. Ele compreende que tudo tem sua hora, mas sempre se enrola nos próprios trambiques. Amanda teme não aguentar tamanha montanha-russa. Mas os dois desejam eternizar esse amor.

A união de Márcio e Lili, assim como a de Heculano e Amanda, é tumultuada, cheia de paixão e de idas e vindas. Clô e Salomão têm tantas mágoas que não conseguem a paz. Felipe só quer o dinheiro de Clô, e ela se apaixona pelo canalha. Salomão sonha com o amor de Lili e sofre quando descobre que é por seu filho que ela se apaixonou. Laura é maltratada pelo marido Neco, que, mesmo brigando com Lili, deseja a cunhada. Youssef é louco por Magda (Vera Zimmermann), que o faz de gato e sapato. Já Amin reprime a mulher Jamile (Carolina Kasting), que nem desconfia que seu marido tem um caso com a secretária Silvia (Bel Kutner). Mas Silvia sofre porque Amin não quer assumir seu relacionamento com ela. Em suma, amores e dissabores no ar.


A trama é velha conhecida dos contemporâneos da década de 70. Janete Clair escreveu a história que fez o Brasil parar até o último capítulo.



Também fazem parte do elenco: Anna Luiza Mendonça, Antônio Caloni, Bernardo Marinho, Carolina Chalita, Fernanda Rodrigues, Frank Menezes, Hanna Romanazzi, Izak Dahora, Jefferson Goulart, João Baldasserine, Lara Rodrigues, Luca de Castro, Marcella Muniz, Maria Pompeu, Mariana Bassoul, Mila Moreira, Natália Soutto, Pablo Sanábio, Paschoal da Conceição, Rafael Losso, Rafael Primot, Rodrigo Mendonça, Rosamaria Murtinho, Tato Gabus Mendes, Tuna Dwek e Ursula Corona.


Patrocínio

Foram disponibilizadas duas cotas de patrocínio master (nacional) no valor de R$ 9.500.000,00 cada uma, adquiridas por Clear (Unilever) e Intel.


O Astro é escrita por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro baseado na obra de Janete Clair, o roteiro tem colaboração de Tarcísio Lara Puiati e Vitor de Oliveira, tem direção de Fred Mayrink, Allan Fiterman e Noa Bressane, direção-geral de Mauro Mendonça Filho e direção de núcleo de Roberto Talma.


O Astro estreia hoje, dia 12 de julho, às 23h00.
Vai ao ar de terça a sexta-feira.
Série exibida em alta definição (HD) e classificação indicativa: 16 anos.

Acesse o site da novela e siga o Twitter @tvglobonovelas.
Acesse o Flickr da Rede Globo e veja fotos da festa de lançamento da novela.


Fonte: Diretoria de Comunicação Transmídia - CGCOM




blog comments powered by Disqus