segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Crítica: Bem Estar da TV Globo

Estreou hoje na Globo o programa Bem Estar, sobre saúde e qualidade de vida. Um programa com apresentadores entusiasmados, cenário aconchegante e com um bom propósito.

O programa foi ao ar das 10h às 10h42 dividido em dois blocos, teve um único e rápido intervalo - de 120 segundos -, e alcançou nove pontos de acordo com dados prévios do Ibope medido na Grande São Paulo. A audiência para uma estreia não foi alta, mas no contexto foi acima do que a emissora marca no horário.

À primeira vista, e espero ser apenas no primeiro programa - por conta da estreia -, o jornalístico pareceu ser bem disperso e genérico quando ao conteúdo, sendo este apresentado sem nenhum aprofundamento.

Especialista de hoje, Dr. Alfredo Halpern deu um show de bom humor, desenvoltura e concentração. De maneira calma e tranquila respondeu objetivamente a tudo o que lhe foi questionado.

Dado momento, a apresentadora Mariana Ferrão derrubou café na mesa e o Dr. Halpern nem se prendeu ao incidente e continuou dando sua explicação como se nada tivesse acontecido.

Estranho foi a pouca participação do público. Quase na metade do programa, Mariana Ferrão anunciou com muito orgulho que já tinham recebido mais de 600 perguntas, no entanto, do início ao fim do programa apenas duas perguntas de telespectadores foram respondidas.

Pior ainda foi integrarem o Globo Notícia ao Bem Estar. Não sei quem foi o gênio que teve a ideia, mas com certeza foi uma péssima ideia.

Aos 25 minutos de programa o assunto que fluía à mesa era alimentação, sem ir para o intervalo comercial, ter uma vinheta, ou sequer um anúncio prévio, surge o Evaristo Costa no plasma ao fundo. Com bom humor e elegância, Evaristo apresentou notícias como: 8 mortes em decorrência de dengue, confronto entre polícia e moradores de um morro em Minas Gerais, prisão de uma militar acusada de assalto...

Não é preciso dizer que destoou totalmente do foco do programa.

Essa “convergência” do noticiário dentro de outros programas requer muito cuidado e bom senso. Bom senso é o que não houve nesse caso. O Mais Você, por exemplo, que ERA um programa leve e atualmente tem se tornado praticamente um programa policial comporta tal “interação”. Mas não me parece ser aceitável esse procedimento dentro do Bem Estar.

Enfraqueceu o Bem Estar como programa e enfraqueceu o Globo Notícia como noticiário. Até porque, Bem Estar e Globo Notícia não tem o mesmo público alvo.

Apesar de a Globo ter um setor de Transmídia, não parece ter havido qualquer tipo de interação entre os setores. O Bem Estar pode ser transmitido simultaneamente na televisão e na internet, inclusive com espaço para comentários on-line. Pode, ao menos, ser disponibilizado no portal de vídeos da Globo.com no formato 16:9, uma vez que é captado em HD.

Você pode pensar, mas isso demandaria um espaço maior de armazenagem. Tecnicamente sim, mas não. São raros os vídeos que são mantidos na Globo.com por mais de três meses.

Isso sem contar na divulgação do Twitter oficial, quem sabe criarem um Facebook, enfim, maneiras pelas quais possibilitem a participação do telespectador.

Até a maneira de participação do público é confusa, é disponibilizado o espaço de comentários - o que é interessante pela transparência -, mas que não fica na primeira página. Ou seja, requer um pouco de conhecimento e paciência se você quiser enviar uma pergunta ao programa. Algo que deve ser melhorado pela Globo.com.

Para que não haja um desinteresse do público e queda de audiência, imagina-se que as pautas de saúde do Mais Você sejam esvaziadas e fiquem restritas a temas como alterações artificiais do corpo, como cirurgia plástica.

Assim como as do Jornal Hoje que também se espera que vá tratar menos de saúde e se prender mais ao noticiário, tendo no máximo pautas sobre moda.

O programa pode ser relevante, mas tem um caminho de melhorias a serem realizadas.




blog comments powered by Disqus