quarta-feira, 19 de maio de 2010

Telefônica: 1º trimestre ruim, só não é pior que a qualidade dos serviços


No dia 12 de maio a Telefônica divulgou seu balanço do primeiro trimestre de 2010. Apesar de bastante “manipulado” o relatório não consegue ocultar o óbvio, que a Telefônica está em franca decadência, reflexo de mais de 10 anos de uma péssima administração.

Administração essa sempre focada só em lucro em cima de lucro, NUNCA em qualidade e eficiência, por isso, o relatório é um golpe desagradável de números desfavoráveis, mas que reconhecem o trabalho que [não] está sendo feito.

Lucro Líquido caiu 16,6%
O dado mais contundente é justamente o lucro líquido que caiu 16,6% só no primeiro trimestre em relação ao mesmo período de 2009. Em relação ao quatro trimestre de 2009 a queda foi ainda maior, de 29,3%.

Ainda assim, a Telefônica teve um lucro líquido grande, 403 milhões de reais só no primeiro trimestre de 2010. No primeiro trimestre de 2009, esse montante foi de 483,4 milhões.

É importante ressaltar que o mercado de telecomunicações está em expansão não só em quantidade, mas em variedade. Antes as empresas de telecomunicações só “viviam” de ligações telefônicas, hoje, o leque de serviços e possibilidades é bem maior, como serviço de internet, TV por assinatura entre outros. A situação econômica do país, notoriamente, é de crescimento, desenvolvimento e consumo ascendente.

Ou seja, é quase uma proeza conseguir – nesse mercado e contexto – quedas tão expressivas.

Mas isso não é proeza e nem acaso, isso é apenas o reconhecimento de uma empresa odiada, que maltrata e ignora seus clientes, que tem serviços de péssima qualidade e com preços absurdos, totalmente fora da realidade.

Quantidade de linhas telefônicas caiu 5,1%
Outro dado relevante é o número de linhas telefônicas - a principal atividade da companhia – que diminuiu. O número de linhas residenciais, por exemplo, caiu 5,1% no primeiro trimestre se comparado com o mesmo período de 2009. Passaram de 8.410 milhões para 7.983 milhões de linhas.



Como o serviço de banda larga da empresa só é possível através da linha telefônica, isso reduz a possibilidade de crescimento até mesmo na prestação de serviço de internet.

Speedy: O pior e mais caro acesso à internet banda larga
No segundo semestre de 2009, a Telefônica caiu para o 2º lugar no ranking de quantidade de acesso à internet banda larga no Estado de São Paulo, perdeu o posto para a NET. Com isso, caiu para terceiro lugar em acessos no Brasil, atrás da OI e da NET.



A tirar pela qualidade do acesso à internet provido pela Telefônica e pelo seu preço – o mais caro do Brasil e um dos mais caros do mundo – é nítido que mais pessoas vão optar por outra empresa que não seja a Telefônica, como, aliás, os números acima mostram essa tendência.

Telefônica TV Digital queda de 6,6%
Outro serviço que os clientes desistiram foi a TV por Assinatura da Telefônica – a Telefônica TV Digital. Assustador, observe.

De janeiro a dezembro de 2009, o mercado de TV por assinatura no Brasil cresceu 18,24%. No primeiro trimestre desse ano o crescimento já é de 3,6%.



Apesar desse mercado em vertiginoso crescimento, a Telefônica encolheu. A TV por Assinatura da Telefônica apresentou queda de 6,6% no primeiro trimestre de 2010 em relação ao mesmo período de 2009. Em relação ao quarto trimestre de 2009, a queda foi de 3,6%.

Fechou o primeiro trimestre de 2009 com 502 mil clientes, no quarto trimestre de 2009 já tinha caído para 487 mil e fechou o primeiro trimestre de 2010 com apenas 469 mil clientes.

Constante queda no investimento
Todos os números acima provavelmente são resultados principalmente desse fator – [falta de] investimento. Cada dia que passa a Telefônica investe menos. Desmentindo o que é anunciado exageradamente em comerciais da companhia.

No primeiro trimestre de 2010 a Telefônica investiu 7,4% a menos, em relação ao mesmo período de 2009 – período já de menor investimento de 2009. Em relação ao trimestre passado a queda foi de 11,8%.

A soma dos investimentos feitos no primeiro trimestre resultam no valor de R$ 357,4 milhões, valor tão baixo, que só não é menor que o investimento feito no primeiro trimestre de 2007 – R$ 351 milhões.

Ou seja, uma empresa que em 2009 foi proibida de comercializar um de seus produtos justamente por incapacidade de rede, de investimento e de gestão, que afirma na mídia que vem fazendo constantes investimentos para reduzir o ciclo de problemas que causa aos usuários, e no trimestre faz quase que o mesmo investimento que fez em um período de 2007. Curioso, não?

Redução de funcionários
Desde que assumiu a Telesp, em 1999, a Telefônica reduziu o número de funcionários para menos da metade.



Mercado foge da Telefônica
Não é só o cidadão - consumidor físico - que não tolera mais a Telefônica.

No fim de 2009, a GVT se recusou ser comprada pela Telefônica e foi comprada pela Vivendi.

Em abril desse ano, a Telefônica perdeu um contrato de R$ 34 milhões com a Caixa Econômica Federal.

Agora em maio, a Portugal Telecom rejeitou a oferta da Telefónica pelas ações da Vivo.

Desvalorização no Mercado
Os papéis/ações da Telefônica (Telesp) negociados na Bolsa de Valores de São Paulo e de Nova York também apresentam desvalorização expressiva.

Cotações em 11/05/2009:
ON – TLPP3 – R$ 40,49; PN – TLPP4 – R$ 48,40; ADR – TSP – US$ 23,10.

Cotações em 28/07/2009
ON – TLPP3 – R$ 36,00; PN – TLPP4 – R$ 42,00; ADR – TSP – US$ 22,34.

Cotações em 10/11/2009
ON – TLPP3 – R$ 39,98; PN – TLPP4 – R$ 45,59; ADR – TSP – US$ 26,91.

Cotações em 11/02/2010
ON – TLPP3 – R$ 36,50; PN – TLPP4 – R$ 40,60; ADR – TSP – US$ 22,12.

Cotações em 12/05/2010
ON – TLPP3 – R$ 30,57; PN – TLPP4 – R$ 35,35; ADR – TSP – US$ 20,20.

Ranking de Reclamações
Em 1998, 1999, 2000, 2001, 2004, 2006, 2007, 2008 e também em 2009, em todos esses anos, a Telefônica foi líder (em número) de reclamações no PROCON de São Paulo.

Só de 2004 a 2008 o PROCON de São Paulo recebeu mais de 98 mil reclamações contra a Telefônica.

A Telefônica também ocupa posição de destaque nos rankings de reclamação da ANATEL, do IDEC, da PRO TESTE, e de outras organizações de Defesa do Consumidor.

É recorrente ainda na parte de reclamações em jornais e revistas.

Levantamento do Ministério Público de São Paulo mostra que existe mais de 18 mil ações judiciais de clientes contra a Telefônica só no Estado de São Paulo.

Multas
Em 12 de abril, último, a Telefônica foi multada em R$ 60 milhões devido ao grande número de reclamações na prestação de serviços de telefonia, banda larga e TV por assinatura, além de desrespeitar a Lei do Sac.

Ou exemplo é a multa da ANATEL em 2005, que condenou a Telefônica a pagar R$ 500 mil por não cumprir metas mínimas de qualidade.

Outras multas ainda estão em tramitação, como as relativas às sucessivas panes, outras relativas à portabilidade numérica, entre outros como má prestação de serviços e péssima qualidade de atendimento.

Mudando de nome
A desfaçatez e a gravidade dos problemas da Telefônica são tão sérios que até o final de 2011 vão mudar o nome da companhia, e passarão a se chamar Movistar.

Tudo isso na esperança de tentar desvincular a imagem efetivamente negativa que as marcas Telefônica, Speedy e outros produtos têm.


Mas a postura ordinária e egoísta, até agora, ao contrário do que ela tenta passar em comerciais, continua a mesma desde a sua chegada ao Brasil.


Você conhece a Telefônica?




blog comments powered by Disqus