domingo, 23 de maio de 2010

Desbloqueio: Eu queria comprar, mas a Claro não quis me vender

Ontem, 22, eu estava na Grande São Paulo e aproveite para procurar por um celular – o Sony Ericsson Satio – que eu queria comprar.

Fui a várias lojas, de várias operadoras - tanto autorizadas, quanto próprias -, em mais de um shopping, em São Paulo e em São Caetano do Sul.

A princípio, a única loja onde encontrei o aparelho foi na loja própria da Claro no Shopping Central Plaza.

Não sou cliente da Claro, não fui, e pelo que estou relatando pode-se notar que não serei!

Entrei na loja, abafada, mal iluminada e suja. Solicitei ao atendente uma senha e informei meu interesse em comprar o aparelho que tinha pré-avistado na vitrine. O atendente já não esboçou muito interesse em me atender e concluir à venda, o que é estranho uma vez que ele vive disso, mas eu estava mesmo predeterminado a comprar o aparelho que eu queria.

Aproveitei para fazer alguns questionamentos sobre o aparelho e a compra pela operadora. Comecei querendo saber o óbvio, não sou cliente da operadora Claro, portanto, se o aparelho era desbloqueado. Achei que o atendente também responderia o óbvio: que sim. Mas não foi isso, rispidamente ele disse que o aparelho era bloqueado.

É importante estar claro aos consumidores que não é mais tolerável a venda de aparelhos de celular bloqueados.

O aparelho é SEU, somente seu! Independente se você o comprou em alguma loja de operadora, site da internet, ou em alguma loja tipo Ponto Frio, Magazine Luiza entre outros.

E já existe regulamentação específica que nos assegura esse direito, algo que já era pra ser nítido pelas operadoras, mas que muitas desrespeitam – como é o caso da operadora Claro.

Desde o final de março desse ano, uma súmula da ANATEL determina que as operadoras de celular – todas elas, sem exceção – desbloqueiem imediatamente o celular dos clientes quando solicitado sem cobrar nada por isso. Tanto aparelhos novos, quando antigos. Seja pós ou pré-pago.

Diz o texto: “O desbloqueio do aparelho celular é direito do usuário que pode ser exercido a qualquer momento junto à prestadora responsável pelo bloqueio, sendo vedada a cobrança de qualquer valor ao usuário pela realização desse serviço”.

Apesar de eu argumentar, conversar até com a gerente – Sr Virginia -, a loja da Claro se recusou a vender o aparelho já desbloqueado ou fazer o desbloqueio do mesmo.

Perdeu um cliente, perdeu uma venda, mas mostrou acima de tudo que não respeita o Consumidor e trabalha em desacordo com as leis e regulamentações.

Com isso, notamos que eu não fui uma exceção, pelo contrário, eu fui mais um dos desrespeitados pela operadora Claro.

Portanto, quando você for comprar um celular, lembre-se: o celular é seu, de mais ninguém!

Não compre aparelho bloqueado!

Não compre aparelho com a PROMESSA de desbloqueio posterior!

Se você já tem um aparelho bloqueado, saiba que a operadora não pode condicionar o desbloqueio a um dia específico da semana, ou a um horário!

Desbloqueio deve ser imediato e deve ser efetivado pela forma de contato do cliente com a operadora.

Se você entrou em contato por telefone para solicitar esse desbloqueio, ele TEM que ser concluído pelo telefone.

Se você foi até uma loja da operadora, o desbloqueio TEM que ser concluído na loja.

Se você procurou a operadora pela internet, o desbloqueio TEM que ser concluído pela internet.

Não há possibilidade de a operadora mandar você procurar outra loja, ou entrar em contato pelo telefone, pela internet e nem nada disso! Não há desculpa que possa ser apresentada, como sistema inoperante, falta de funcionário, ou até dizer que o fabricante do aparelho que deve fazer esse procedimento, isso são desculpas esfarrapadas para impedi-lo de desbloquear seu aparelho.

Não compre aparelho bloqueado!


No final das contas, não comprei o aparelho na loja da Claro. Fui até o Shopping ABC – em Santo André, no ABC Paulista -, e achei o Sony Ericsson Satio – DESBLOQUEADO - na loja da Fast Shop. E comprei na Fast Shop o aparelho.




blog comments powered by Disqus