quarta-feira, 11 de março de 2009

Sobre o Caso Doritos, o que EU acho

Antes, para entender...
HOJE, vi no @baunilha: Polêmica gerada a partir da propaganda de Doritos q discrimina Gays. Em q ano estamos msm? Isso ainda existe? http://migre.me/7pZ
Acessei o link e cai no post DORITOS X GAYS, no Blog do Celso Dossi.
Assisti o comercial e li o texto, apesar de já ter assistido a propaganda na tv - anteriormente - e não ter achado nada de mais, automaticamente dei razão ao seu texto, em que conota CLARAMENTE homofobia ao comercial de Doritos.
Twittei que não ia mais comprar Doritos.
A @dbrp (Débora Pinheiro) me replica no twitter, me chamando a atenção para um possível "exagero".
Mais alguns esclarecimentos: Não conheço, sequer acompanho pela Internet e não tenho nenhum tipo de relacionamento - nem virtual, nem com a @baunilha (Bruna Calheiros) e nem com o Celso Dossi. Achei a Bruna de enxerido que sou e sem querer!
Eis que me faro investigativo entra em ação...


Na semana passada, começou a ser veiculado na TV e em outras mídias um novo comercial de Doritos - um salgadinho da Elma Chips. Assista:



O comercial, que tem uma única versão, mostra quatro rapazes dentro de um carro, ao som de YMCA da banda Village People. Até que um dos garotos acaba, contagiado pelo som, fazendo a coreografia original da música. O que é motivo de espanto para os outros três garotos dentro do carro.

Para quem não sabe: o Village People é/foi uma banda disco norte-americana surgida boates gays nos EUA. Isso não quer dizer que só gay ouça ou só gay pode ouvir, ou vice-versa. Particularmente, ouço a música e não ligo uma coisa na outra, mas, não posso ser ignorante a ponto de dizer que não sei de onde veio, isso seria uma conduta imbecil.

Tendo por base essas informações, fui checar com a própria empresa o intuito do comercial. Primeiro visitei o site (http://www.doritos.com.br), e observei que realmente NÃO existia NENHUM posicionamento de preconceito, tratava-se de uma simples brincadeira. Mesmo assim, entrei em contato por telefone com a fabricante do produto, a Elma Chips. Nem é preciso dizer que fui muito bem atendido, e uma responsável pacientemente me explicou que realmente não houve nenhum cunho ofensivo, seja ele qual for, na brincadeira.

Até aí, eu já tinha mudado minha opinião.

Vale ressaltar: A ação publicitária tem várias vertentes, não só o comercial na TV. O fato de ter sido criado apenas um comercial, ou uma versão, pode ter gerado esse tipo de visão de ALGUNS telespectadores. Mas sejamos lógicos, não é barato veicular dois, três, sequer um comercial na TV. Pode observar que no site está bem mais explorada a idéia da propaganda.

Observando a história cultural da música, ou melhor - não a negando, percebemos que a Agência Cia de Cinema poderia sim ter "evitado" isso. É exatamente pra isso que existem as Agencias de publicidade, pensar, criar e obter o melhor.

Se o menino soltasse um "peido" (poderia ser engraçado, mas de mau gosto, mas ainda sim uma opção)? Não seria uma solução.

Se ele (o garoto) estivesse numa festa e dançasse ao "estilo John Tavolta"? Seria uma boa, uma vez que o "estilo" é próximo.

Chego à conclusão de que NÃO consigo ver, por parte do Doritos/Elma Chips, nenhuma posição homofobica, claustrofobia, heterofobica... e por ai vai, é apenas uma brincadeira! Não nego que poderia ter havido um cuidado maior, para que de nenhuma maneira fosse levantadas dúvidas quanto ao tom do comercial.




blog comments powered by Disqus