terça-feira, 8 de julho de 2008

Jornal Nacional e as falhas

Dia 20 de junho, esse foi o último dia que eu apontei as falhas do "Jornal Nacional". Não, infelizmente isso não quer dizer que desde esse dia o telejornal tem ido ao ar sem falhas, pelo contrário, fui eu que resolvi dar uma pausa para não 'soar' perseguição.

Mas, apesar de não ser perseguição e o recado ter sido dado, parece que realmente virou marca registrada do "Jornal Nacional" (acho que eu já falei isso) esses erros primários. Portanto, já que eles não ligam mesmo de errar, quem sou eu de ligar por estar relatando.

Fingindo que nada aconteceu nesses 19 dias passados (ahm), hoje, novas falhas aconteceram durante a exibição do telejornal ícone de qualidade da Globo.

Estava Fátima Bernardes atrás da bancada, impecável como sempre, chamando à entrevista que a franco-colombiana Ingrid Betancourt concedeu com exclusividade à Globo. Mas, sabe-se lá porque, aparece atrás dela a apresentação usada para tratar de assuntos financeiros (vídeo).

Reprodução: TV Globo

Tudo bem vai, alguém apertou o botão errado.

Agora, o que dizer disso:

Reprodução: TV Globo

"Advogdo", não seria "Advogado"? Tá! 'Estou convencido de que nunca na história' desse telejornal houve tantas falhas.

Assumo que não sou ninguém para falar sobre erros de português. Entretanto, a pessoa que digitou essa legenda não está muito à minha frente não. E com uma 'pequena' diferença, eu sou 'ninguém', e essa pessoa trabalha no poderoso telejornal da emissora "Q" (Q de suposta qualidade).

OK! Você ainda pode estar na dúvida, achar que são erros banais, que eu posso estar com dor de cotovelo, e que eu sou um burro.

Quem assistiu o "Jornal Nacional" percebeu CLARAMENTE que o telejornal foi apenas sobre a prisão de Daniel Dantas, Naji Nahas e Celso Pitta. Todo mundo fica entusiasmando ao dar e ao ver uma notícia como essa, que aliás estava muito bem feita. Mas, feliz ou infelizmente, o mundo gira e com absoluta certeza que não gira em torno desses três.

Portanto, para um telejornal de apenas 40 minutos e uma aclamada qualidade editorial, ocupar cerca 15 minutos só com essa notícia é um absurdo de exagero. Isso representa cerca de 40% do telejornal. Isso tudo para uma única notícia, e 'vamos combinar' que isso nem foi à queda do World Trade Center.

O que me leva automaticamente a pensar que: ou alguém da Globo tem algo contra um dos três ou faltou notícia no Brasil e mundo hoje.

Brincadeira, não acho que a Globo tenha alguma coisa contra um dos três, acho apenas que foi um excesso de entusiasmo com uma boa matéria, uma outra falha. De qualquer maneira, todos os outros telejornais, de todas as outras emissoras - da Rede Vida à Record -, deram a mesma notícia e não gastaram nem metade desse tempo.




blog comments powered by Disqus