quinta-feira, 5 de junho de 2008

Câmara e assembléia de SP fecham acordo para TV digital

Donizete Barros, 1º secretário Câmara Legislativa SP; Vaz de Lima, pres. Ass.Leg. SP.; Edmar Chedid, 2º secretário ass. Leg. SP. ; dep. Nárcio Rodrigues; dep. Arlindo Chinaglia e diretor geral Sérgio Sampaio.

Ainda neste ano, os paulistanos vão poder conferir os trabalhos da Câmara dos Deputados e da Assembléia Legislativa de São Paulo por meio da TV digital, em sinal gratuito. Para viabilizar as transmissões experimentais, os presidentes das duas Casas assinaram, nesta quinta-feira, um acordo de cooperação que prevê o rateio dos investimentos e do custeio do canal.

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, considera o acordo um passo importante para o fortalecimento da democracia, uma vez que o sistema digital abre oportunidades como a apresentação simultânea de canais, e cria espaços para a interação com o público.

Em São Paulo, a TV Câmara Digital será transmitida pelo canal 61. Além da multiprogramação e da melhor qualidade de imagem e de áudio, os recursos técnicos da TV permitem a portabilidade. Isso quer dizer que o sinal poderá ser captado, gratuitamente, por celulares que recebam o sinal de TV, serviço já disponível em São Paulo. A mobilidade também vai permitir a recepção do sinal em TVs instaladas em ônibus e carros.

Chinaglia acrescentou que, com a nova tecnologia, será possível que a população acesse o debate e dialogue com os parlamentares, ressaltando o caráter interativo da tv.

O 1º vice-presidente da Câmara, deputado Nárcio Rodrigues (PSDB-MG), coordenador do projeto de criação da rede legislativa, e o presidente da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, Vaz de Lima, também enfatizaram que a TV digital ampliará o acesso à informação direta, transparente e interativa.

Divisão de custos
Proposta aprovada pela Mesa Diretora permitiu que a Câmara disponibilize um dos canais de multiprogramação para as assembléias legislativas estaduais e, posteriormente, para as câmaras municipais, formando a Rede Legislativa de TV Digital.

O acordo de cooperação prevê o rateio dos investimentos e do custeio do canal digital, o que tornará a rede atrativa para todos os parceiros. No caso da transmissão para a cidade de São Paulo, os valores para a instalação definitiva do sinal digital devem superar R$ 10 milhões. Inicialmente, não haverá custos entre os parceiros para as transmissões experimentais, pois serão usados equipamentos digitais para testes cedidos por empresas.

Alcance nacional
Neste ano, além de São Paulo, a TV Câmara Digital chegará a Belo Horizonte. As duas cidades, juntas, representam 7,2% da população brasileira.

Em 2009, será a vez de Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Fortaleza, Curitiba, Porto Alegre, Manaus, Recife, Belém, Goiânia, São Luis, Maceió e Teresina - o que representará mais 13,61% da população do País. Em 2010, a TV Câmara Digital chegará a Natal, Campo Grande, João Pessoa, Cuiabá, Aracaju, Florianópolis, Porto Velo, Macapá, Vitória, Rio Branco, Boa Vista e Palmas, somando mais 2,9% da população.

Entre os anos de 2011 e 2014, a meta é que a Rede Legislativa de TV Digital chegue nas 229 cidades com mais de 100 mil habitantes no País. Assim, serão atingidos outros 30,61% da população brasileira.

Ao final, o sinal da TV Câmara Digital terá atingido a 54,3% de todo o País, de forma aberta e gratuita. A esses números, somam-se hoje os 6 milhões de assinantes de TV a cabo e os outros quase 20 milhões de proprietários de antenas parabólicas, que se encontram sobretudo nas cidades de menor porte. Até o final da próxima década, a Rede Legislativa de TV Digital deverá alcançar todo o País.

Fonte: Agência Câmara e Assembléia Legislativa de São Paulo




blog comments powered by Disqus