sábado, 29 de setembro de 2007

Telefônica é PROIBIDA de exigir provedor, e terá que indenizar consumidor

A ação civil pública iniciada em 2002 sob nº 2002.61.08.004680-9 movida pelo Ministério Público Federal contra as rés Telecomunicações de São Paulo S/A - TELESP; Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL; Associação Brasileira dos Provedores de Acesso, Serviços e Informações de Rede Internet/São Paulo - ABRANET.SP tem o propósito de fazer com que a TELESP não possa exigir, condicionar ou impor a contratação e pagamento de um provedor adicional aos usuários do SPEEDY. Evitar que a mesma se abstenha a prestar o serviço em razão da não contratação ou pagamento de provedor de acesso. Fornecer o serviço àqueles que eventualmente tenham sido privados dele, por tal motivo.

Solicita ainda que as rés indenizem os usuários e ex-usuários pelos danos patrimoniais e morais sofridos em razão da pratica abusiva, com direito a repetição do indébito por valor igual ao dobro do que tenha sido pago em excesso.

A TELESP - nome fantasia TELEFÔNICA acusada de venda casada, se defende justificando que presta exclusivamente o Serviço Telefônico Fixo Comutado, no qual se insere o transporte de dados em alta velocidade, sem, entretanto compreender o acesso à rede internet, sendo esse serviço prestado exclusivamente pelos provedores.

A ANATEL acusada de ser conivente, confirma a justificativa apresentada pela TELEFÔNICA, e explica que tem autonomia apenas para regulamentar serviços de telefonia.

A ABRANET no correr do processo solicitou sua entrada em defesa a TELEFÔNICA.

TELEFÔNICA chega a questionar a jurisdição/legitimidade do Ministério Publico frente ao processo. A qual evidentemente é dado como improcedente com base na Constituição de 1988 ( Art. 127 e 129) e no Código de Defesa do Consumidor (Art. 113).

Outra justificativa foi a comparação feita com relação o acesso discado, que é prontamente fora analisada pelo perito, dando o parecer que no acesso discado o procedimento é outro, e existe uma real necessidade de provedor. Já no caso do acesso banda larga, não é necessário, sendo usado apenas para o simples fato de autenticação. Sendo plenamente possível o uso do serviço sem provedor.

É comprovado também que a partir de setembro de 2003 a Telefônica começou a explorar comercialmente equipamentos de acesso, chamados de roteadores. Por meio desses conseguindo fornecer o serviço de conexão aos provedores. Fato com a anuência da ANATEL.

Na ação é citado o parecer da Suprema Corte dos Estados Unidos, onde lá, não pode ser exigido a contratação de provedor de acesso.

Com base em aspectos jurídicos e técnicos o juiz Marcelo Freiberger Zandavali, da 3ª Vara Federal de Bauru, concluiu em sua sentença que:

 - PROÍBE a Telefônica (Telecomunicações de São Paulo S/A - TELESP) de exigir provedor de acesso ao serviço speedy em todo Estado de São Paulo.

- ORDENA que a ANATEL autorize a prestação do serviço de autenticação pela Telefônica.

- CONDENA tanto a Telefônica quando a ANATEL a indenizar todos os usuários do serviço speedy do Estado de São Paulo desde setembro de 2003, com observância ao Código de Defesa do Consumidor, que determina a devolução em dobro do valor cobrado, com juros e correções monetárias.

- CONDENA a ABRANET.SP a custear os honorários do processo, no valor de R$ 30.000,00 (trinta mil reais). 

- RATIFICA o direito do consumidor de pleitear individualmente possíveis danos morais, sem prejuízo das determinações acima.

Tendo a Telefônica o prazo máximo de 30 dias a partir da data de intimação (27/08), para liberar o uso do serviço speedy sem provedor e comunicar todos os seus atuais (1,8 milhões) e antigos clientes, da desobrigação da contratação de provedor para uso do serviço speedy e do direito de receberem a indenização.

Caso a decisão seja descumprida incidirá multa estipulada de R$ 36.000.000,00 (trinta e seis milhões de reais). Ultrapassado o prazo de trinta dias, sem cumprimento, a multa diária será de R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais).

Cabe apelação a sentença. A empresa confirma que vai recorrer da sentença.


No endereço http://www.speedy.com.br/comunicado.asp e http://www.speedyvantagens.com.br/cadmus/em/comunicado/index.html a Telefônica faz um comunicado:

"COMUNICADO IMPORTANTE

A Telefônica comunica a você cliente Speedy que, de acordo com decisão judicial não definitiva, a partir de hoje (quarta-feira, 26 de Setembro de 2007) oferece a conexão à internet através do login 'internet@speedy.com.br' e da senha 'internet'.

Você, que já possui um provedor, poderá conectar-se com o login e senha acima descritos. Entretanto, este acesso não inclui os serviços, tais como: e-mail, conteúdos de acesso restrito, entre outros.

Ainda, a decisão não cancela os serviços de provedores de internet já contratados por você, que poderá optar por continuar fazendo o login através do provedor que já contratou e manter os serviços que possui atualmente. Neste caso, você não precisa fazer nada – basta continuar utilizando o login e senha do seu provedor atual. Caso queira entender melhor estes serviços e/ou alterá-los entre em contato com o seu provedor.

Mais informações podem ser obtidas em nossa Central de Relacionamento."


LOGIN

 internet@speedy.com.br

SENHA

 internet


Tag: Speedy no: e
Tag: Telefônica no: e
Tag: ANATEL no: e
Tag: ABRANET no: e




sexta-feira, 28 de setembro de 2007

A verdade sobre o atendimento e a entrega do jornal Folha de São Paulo

Dia 20/08 recebi aqueles famosos e-mails da Folha de São Paulo, oferecendo 15 dias de jornal gratuito. Decidi fazer um teste.

Digo teste porque por mais de três vezes eu já tentei ter assinar o jornal e tive problemas de entrega e atendimento.

Das assinaturas em meu nome, a primeira foi em 2004 quando eu já estava morando aqui em Peruíbe. Recebi um panfleto através de uma compra que fiz no site Submarino e liguei pra central de atendimento confirmando o interesse. Resumindo, dos 15 dias de "degustação", se eu consegui receber adequadamente e ler o jornal por 2 foi muito. Evidentemente que acabei não efetivando a assinatura.

Em março desse ano imaginando que os problemas de 2004 tinham sido superados, decidi mais uma vez aceitar um e-mail enviado ofertando o período de 15 dias de "degustação". Aceitei, e logo no primeiro dia comecei a ter problemas. O jornal era arremessado na piscina ou no quinta e os cachorros rasgavam ou simplesmente não era entregue.

O que me motivou por varias vezes entrar em contato com a central de atendimento da Folha de São Paulo e relatar os ocorridos. Tentaram adotar algumas medidas como, definir um local exato pra que o jornal fosse colocado e outra foi marcar um horário pra que o jornal fosse entregue em mãos. Por mais normais que pareçam esses dois procedimentos, eles não foram cumpridos, e pior, ainda teve um dia que eu acordei umas 7:30... 8h pra receber o jornal e fiquei lá plantado e ninguém apareceu. Com motivos mais do que suficientes mais uma vez eu descontinuei a assinatura, e defini uma postura de nunca mais ser assinante do jornal Folha de São Paulo. Postura essa que eu endosso.

Como tenho o blog, e anteriormente tive esses problemas eu resolvi testar novamente e relatar aqui.

Recebi o e-mail e assinei sem a menor chance de continuar sendo assinante. Apenas para relatar a entrega e seus possíveis problemas, esses que eu já imaginava que iam se repetir.

No dia 20/08 fiz o pedido. Dia 22/08 foi confirmado sob o número 134835. A primeira dificuldade foi a demora no começo da entrega do jornal. Na proposta dizia que o jornal começaria a ser entregue em até 5 dias. E eu só fui receber por volta do sétimo dia.

Os exemplares começaram a ser entregues nos primeiros dias no vão do portão e depois arremessados no quintal de casa. Até esse momento eu não estava vendo grandes dificuldade já que eu não tinha especificado um local pra que o jornal fosse colocado e estava conseguindo ler o jornal.

De qualquer maneira acho que o vão do portão não é o melhor local para o jornal ser colocado, porque pode chover e molhar ou alguém passar e pegar. E ser arremessado no quintal muito menos, já que tenho 3 cachorros. Por sorte, nos primeiros 10 dias ninguém roubou o jornal do vão do portal, e quando ele foi arremessado de dentro de casa nenhum cachorro rasgou ou fez xixi em cima.

No décimo dia entrei em contato com a central de atendimento para avisar, como previsto, que eu não continuaria a assinatura. Conversando com a atendente Leila, expliquei os motivos, as assinaturas anteriores, e conversei sobre a entrega atual... que não achava que estava sendo entregue no melhor lugar, mas que não estava tendo dificuldades em efetivamente ler o jornal.

Acho que com essas informações e com um intuito de mudar a minha opinião definitiva da Folha de São Paulo, ela insistiu com uma prorrogação de mais 15 dias gratuitos. Eu autorizei, deixando claro que não achava uma boa idéia. Mas ela disse que acompanharia e que eu não teria nenhum problema.

E mais uma vez a minha "profecia" se concretizou. Eu só recebi o jornal dentro da piscina ou no quintal onde os cachorros pegaram.

Liguei no dia 20 novamente e fui muito mal atendido pela Natalia Almeida. Que diante da situação realmente não tinha o que argumentar, porém ela decidiu simplesmente não fazer nada!

Ontem dia 27 foi o último dia de recebimento e de teste da entrega e do atendimento. Para fechar com chave de ouro o jornal foi "gentilmente foi deitado sobre a água da piscina". Sendo assim eu não consegui ler o jornal!

Termino mais uma vez a "degustação" com uma indigestão!

Eu não moro em um lugar de difícil acesso, e nem coloco armadilha em casa para o entregador. Recebo normalmente a revista VEJA, EXAME e a revista VOCÊ S.A. Também já tive assinatura de varias outras revistas e em sua maioria, com exceção quando não tem alguém em casa, elas são entregues em mãos e em perfeito estado.

O que está sendo analisado é a entrega/distribuição e o atendimento.

O conteúdo editorial é incontestável qualidade.

De nada adianta um conteúdo bom se eu não consigo ler o jornal.

É importante ressaltar que a distribuição e entrega do jornal é terceirizada.

O atendimento não é terceirizado, é feito por funcionários da própria Folha de São Paulo. O que pra mim demonstra que a situação é bem grave! Quando é terceirizado a empresa fala que a culpa não é dela. De qualquer maneira ela é responsável. Agora quando o atendimento é próprio o erro é da própria empresa e a responsabilidade também.

Inacreditavelmente também, tenho muita dificuldade em encontrar exemplares nas bancas de jornal. Tentei por varias vezes relatar esse problema a Folha de São Paulo e a mesma se resume em dizer que ela entrega a quantidade de jornal que o jornaleiro pede. E o jornaleiro diz que a Folha que só entregou um exemplar pra ele.

Não sei quem é o errado na história, sei apenas que o jornaleiro não pode decidir ser um distribuidor. Ou seja, ele só pede 1 exemplar por dia, porque todo dia o "Joãozinho" compra. Se o "Joãozinho" ompra todo dia a Folha deve efetivar uma assinatura pra ele! É mais fácil pra ele e mais fácil pra Folha.

Em contra partida a Folha deve verificar periodicamente a distribuição e apresentação dos seus produtos. E orientar melhor os jornaleiros.

O jornaleiro não pode simplesmente solicitar 10 mil exemplares, sabendo que ele não vai vender tudo isso. Mesmo porque a Folha nem permite isso, o jornal é consignado, ou seja, é deixado na banca, o que não vender a Folha recolhe e sobre o que vender a Folha da 30% para o jornaleiro.

Então se você não ta encontrando jornal isso é sim um problema de logística da Folha de São Paulo.

P.s: Em contato ontem com a Folha de São Paulo, conversei com a Vanessa Monteiro do setor de qualidade que ficou de enviar em e-mail com um posicionamento da Folha em relação aos fatos descritos, para que fosse publicado aqui. E mais uma vez o atendimento deixa a desejar já que a Vanessa sabendo que não iria mandar nenhum e-mail ficou me enrolando o que atrasou a publicação desse post que era pra ter ocorrido ontem. De qualquer maneira a oportunidade foi concedida.

Tag folhadesp no: e




Frase do dia

Não é tão importante ser sério. É importante ser sério nas coisas importantes.
Robert M. Hutchins, Presidente da Universidade de Chicago, EUA, 1899-1977




Operadoras terão que identificar ligação a cobrar

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou ontem substitutivo do deputado Fernando Melo (PT-AC) ao Projeto de Lei 7536/06, do deputado Chico Alencar (Psol-RJ). A proposta obriga as operadoras de telefonia a fornecer ao assinante a identificação completa do autor de ligação a cobrar.

Segundo o substitutivo, se o assinante possuir identificador de chamada, a operadora deverá permitir, no ato da ligação, a identificação do código de acesso do autor da chamada. Quando o assinante não dispuser de identificador e requisitar a identificação, a operadora terá prazo de dez dias úteis para informar o nome, o número do documento de identidade, CPF ou CNPJ e o endereço da pessoa física ou jurídica titular do código de acesso do aparelho que realizou a chamada a cobrar, ressalvados os casos de ligações internacionais.

O texto original prevê a cobrança de R$ 2 por pedido de informação, mas o substitutivo apenas prevê que a solicitação será cobrada, sem fixar valor.

Multas
O projeto de Alencar fixa multa diária de R$ 1 mil, em benefício do solicitante, se a operadora não prestar as informações no prazo. O texto original também prevê multa de R$ 100 mil se for comprovada irregularidade na habilitação do aparelho do autor de chamada a cobrar. A intenção do autor é dificultar a habilitação de celulares roubados. "Já está suficientemente comprovado que esses aparelhos são facilmente habilitados mediante a utilização de documentos falsos ou de terceiros ou, ainda, através da simples troca de um de seus componentes." Alencar acredita que, com as penalidades estipuladas no projeto, as operadoras tornarão mais rigorosas as normas para habilitação de celulares.

O substitutivo aprovado, no entanto, não fixa valores para multas e remete os infratores às penalidades previstas na Lei 9.472/97, que trata da organização dos serviços de telecomunicações. Entre as penalidades previstas nessa lei estão: advertência, multa e declaração de inidoneidade. 

Segundo o relator, Fernando Melo, as modificações sugeridas por ele e aprovadas pela comissão "atendem com mais objetividade os fins pretendidos pelo autor do projeto original".

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Camara
Link original da notícia, clique aqui.




Comissão aprova limite para espera em fila de bancos

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou hoje o Projeto de Lei 1075/07, do deputado Luiz Fernando Faria (PP-MG), com emenda que obriga os bancos a atenderem os seus clientes no prazo máximo de 30 minutos. O projeto original estipula esse prazo em 15 minutos.

O relator, deputado Paes Landim (PTB-PI), defendeu a aprovação da medida. Para ele, a proposta é favorável ao interesse dos consumidores, uma vez que "existe parcela da população que não pode prescindir do atendimento presencial nas agências para a realização de operações bancárias básicas, como o pagamento de contas, recebimento de aposentadorias e pensões".

Senhas
Para que os usuários dos serviços bancários possam comprovar o tempo de espera na fila, o texto determina que sejam emitidas senhas que contenham o número de identificação da instituição, a data e o horário de impressão. Posteriormente, o funcionário do banco deve registrar o horário de início do atendimento.

Outras instituições
Além de limitar o período de espera a 30 minutos, a emenda do deputado Max Rosenmann (PMDB-PR), acatada pelo relator, estende a exigência a outras instituições, como cartórios, hospitais, companhias aéreas e repartições públicas.

Paes Landim explica que a emenda aperfeiçoa o texto original e amplia o alcance social da proposta, "ao proteger os consumidores de abusos na demora de atendimento nas mais diversas organizações e repartições, não somente bancárias".

A emenda abre exceção para os dias de movimentação atípica nas instituições, como às vésperas de feriados. Nessas ocasiões, conforme o texto, o limite de espera poderá ser aumentado para 40 minutos.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara
Link original da notícia, clique aqui.




Frase do dia

Se você não gosta da estrada que esta andando, abra outra.
Anônimo




quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Record News

Falta exatamente uma hora para entrar no ar RECORD NEWS.

O primeiro canal de notícias 24h em TV Aberta do Brasil.

O lançamento ocorre em comemoração aos 54 anos da Rede Record de Televisão. Substituindo a Rede Mulher.

O "play" inicial será dado pelo presidente Lula, transmitido pela Record.

O canal entra no ar com uma polêmica. Parece que a NET (TV por assinatura) que transmite atualmente o sinal da Rede Mulher, cortará o sinal assim que se transformar em Record News.

Clique aqui e visite o site oficial




Gol é condenada a indenizar passageiro por atraso de vôo

O atraso de três horas na partida de um vôo acabou levando a Gol Transportes Aéreos à condenação por dano moral causado a um passageiro. A 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Distrito Federal fixou a indenização em R$ 2 mil. Segundo o entendimento dos julgadores, a mera alegação de imprevistos com a aeronave não é suficiente para excluir a responsabilidade da companhia aérea pelo vício do serviço. Para os juízes, o atraso de três horas na decolagem é causa suficiente para configurar o dano moral.

O autor do pedido de indenização afirma que adquiriu o bilhete aéreo para vôo referente ao trecho Brasília/Recife, para o dia 27 de julho de 2006, com previsão de chegada às 15h10. Contudo, a chegada ao destino só aconteceu três horas depois. Conforme o passageiro, o atraso lhe causou transtorno e desconforto. O autor argumenta que o dano moral independe de demonstração e se extrai do próprio descumprimento parcial do contrato pela companhia aérea, razão pela qual requereu a indenização.

Em contestação, a Gol alega que o atraso ocorreu em virtude de reestruturação da malha aérea. Ressalta que o atraso não ultrapassou a tolerância de quatro horas permitida pelas normas do Departamento de Aviação Civil. Para a Gol, o atraso inferior a quatro horas não enseja o pedido de indenização por dano moral. A empresa argumenta, ainda, que o atraso se deu em razão de imprevistos com a aeronave, fato alheio à vontade da companhia aérea, o que configura o caso fortuito.

De acordo com o juiz relator do recurso, o artigo 14, § 3º, do Código de Defesa do Consumidor atribui ao fornecedor a prova da causa excludente de sua responsabilidade. O juiz afirma que a Gol não produziu prova do alegado caso fortuito, motivo pelo qual deve ser considerada responsável pelo vício do serviço. O relator ressalta também que o artigo 230 do Código Brasileiro de Aeronáutica não exclui a possibilidade de se reconhecer o dano moral na hipótese de atraso de vôo inferior ao período de quatro horas.

Segundo o magistrado, o dano moral decorre de uma violação de direitos da personalidade, atingindo, em última análise, o sentimento de dignidade da vítima, a quem cabe provar apenas os fatos ensejadores da reparação pretendida. “O atraso de três horas, sem qualquer prestação de esclarecimentos, representou verdadeiro descaso com o consumidor, que sofreu angústia que extrapola a frustração cotidiana, ao ter de aguardar durante três horas a saída de seu vôo para chegar ao destino esperado, sem ao menos saber o porquê”, afirma.

Nº do processo: 2006.01.1.088068-9

Fonte: TJDF




Prefeitura de SP vende Créditos de Carbono por R$34 milhões na BM&F

O primeiro leilão de créditos de carbono no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), instituído pelo Protocolo de Quioto, foi realizado na manhã de quarta-feira, 26 de setembro, na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), em São Paulo. Foram negociados créditos correspondentes a 808.450 toneladas de dióxido de carbono, de titularidade da Prefeitura de São Paulo, geradas pelo Projeto Bandeirantes de Gás de Aterro e Geração de Energia. O banco europeu Fortis Bank NV/SA arrematou o lote por €16,20 por tonelada de carbono, pagando à Prefeitura o equivalente a €13,09 milhões (cerca de R$34 milhões). Foram habilitadas 14 instituições para participar do evento, com nove delas apresentando lances de ofertas. O preço mínimo era de €12,70.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que acompanhou todo o leilão na sede da BM&F, disse que os recursos arrecadados com a venda dos créditos gerados pelo Aterro Bandeirantes serão usados para projetos de melhoria de vida e recuperação de áreas públicas no entorno do Aterro: “Estamos satisfeitos com o volume alcançado e com esse recurso vamos atender a um número expressivo de projetos. Serão criados parques, construídas praças. Serão programas intensos em relação à melhoria da qualidade de vida”, anunciou.

O presidente do Conselho de Administração da BM&F, Manoel Felix Cintra Neto, destacou a importância da realização do leilão: “Estão participando os principais traders de crédito de carbono do mundo”, avaliou. “É um momento importante para o Brasil. A participação em nível global mostra que esse instrumento, o leilão, atrai grandes investidores”, completou.

Gilberto Kassab anunciou à imprensa que novos leilões de créditos de carbono já estão programados para ser realizados pela Prefeitura.

Fonte: BM&F
Link original da notícia, clique aqui.




Brasil passa a ter quatro operadoras móveis em cada área de prestação

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) terminou, hoje, o primeiro dia de disputa dos 105 lotes da licitação do Edital 001/2007/SPV-ANATEL, que tem como objeto a expedição de Autorizações para Uso de Radiofreqüências na telefonia móvel. O ágio médio dos lotes disputados foi cerca de 40%.

A Oi passará a operar em todo o estado de São Paulo após ter adquirido o Lote 7. A Vivo, com o Lote 22 (estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Piauí, Pernambuco e Rio Grande do Norte), operará em todo o Nordeste e, com os lotes 12 e 13, em Minas Gerais. A Claro obteve o Lote 16 (municípios de Londrina e Tamarana no Paraná) e o Lote 20 (estados do Amazonas, Amapá, Pará, Maranhão e Roraima).

Com os lotes adquiridos, as prestadoras passarão a operar o Serviço Móvel Pessoal (SMP) em áreas nas quais não atuavam. Ao ser informado dos resultados do primeiro dia da licitação, o presidente da Anatel, Ronaldo Mota Sardenberg, afirmou que o Brasil atingiu a meta de ter, pelo menos, quatro grandes operadoras em cada área de prestação da telefonia móvel. Ele também disse estar satisfeito com os resultados obtidos na licitação, a primeira do SMP na sua gestão.

As propostas de preço continuarão a ser abertas amanhã, a partir das 9h, no Espaço Cultural Anatel (SAUS, Quadra 6, Bloco C, Brasília, DF). As adquirentes dos lotes poderão, se ainda não tiverem autorização para prestar o serviço, entrar no mercado da telefonia móvel, que conta com mais de 110 milhões de acessos em serviço. No caso de serem prestadoras do SMP, poderão ampliar a oferta de serviços prestados, com o aumento da banda.

Fonte: Anatel




Novas regras para baterias de celular

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou ontem a Resolução nº 481, que aprova a Norma para a Certificação e Homologação de Baterias de Lítio e Carregadores Utilizados em Telefones Celulares. As baterias e os carregadores, que antes eram analisados em conjunto com os telefones, passarão por teste específicos de segurança e qualidade. Entre eles, está o que permite avaliar a bateria quando submetida a ações que podem provocar elevação excessiva da temperatura, o que pode desencadear a explosão do material que compõe a célula de armazenamento de energia.

A expectativa é de que as novas regras ajudem a reduzir o comércio dos produtos de origem duvidosa. Com a norma, que afeta um mercado de mais de 110 milhões de linhas móveis, as baterias de celulares deverão portar um selo de segurança, para facilitar a identificação da origem pelo usuário. O selo trará a logomarca da Anatel e o número da homologação, que será um requisito obrigatório para o comércio do produto.

A nova norma também se refere à Resolução 257/1999 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que disciplina o descarte e o gerenciamento ambientalmente adequado de baterias usadas. A Anatel mantém contato com a Associação Nacional das Operadoras de Celulares (Acel) para a elaboração de um procedimento de coleta, reciclagem e tratamento das baterias descartadas.

Para subsidiar a elaboração da Resolução 481, servidores da Agência visitaram duas fábricas de baterias no Amazonas e uma em São Paulo e realizaram workshop com interessados, como a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e o Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec).

A norma, que se baseia em recomendações internacionais, como a do Comitê Eletrotécnico Internacional (IEC, na sigla inglesa), recebeu contribuições da sociedade em setembro de 2006, sob a Consulta Pública 733. O Conselho Diretor da Anatel aprovou as novas regras na sua 449ª reunião, em 30 de agosto. A Resolução nº 481 foi publicada, ontem, no Diário Oficial da União. A Norma para a Certificação e Homologação de Baterias de Lítio e Carregadores Utilizados em Telefones Celulares entra em vigor dentro de 150 dias.

Clique aqui e leia o documento completo.( PFD)

Fonte: Anatel




Será realmente essa a solução para o telemarketing?

Leia essa notícia:

"Agente wireless
Supervisores e agentes de contact center podem ganhar eficiência e tempo com uma novidade que promete invadir as centrais: os headsets wireless. Com ele, o agente consegue continuar falando com o consumidor enquanto se movimenta entre áreas ou andares da empresa para checar dados ou dúvidas, evitando botar a ligação em espera ou mesmo retornar mais tarde. Uma mãozinha a mais para diminuir atritos, já que é maior a probalidade da chamada ser resolvida na hora – a demora é uma das principais reclamações dos consumidores."

Fonte: Consumidor Moderno


Fiquei pensando...

Será mesmo que isso pega aqui no Brasil?

Vendo pelo lado positivo... dinheiro é o que não falta pra comprar os "fones de ouvido" sem fio para os 750 mil (previsão 2007) trabalhadores de telemarketing. Setor esse que deverá esse ano atingir o faturamento de 4,5 bilhões de reais.

Vendo pelo lado realista... tenho certeza que isso não é o problema e nem ajudaria a resolver o problema. Posso dizer com propriedade porque conheço o atendimento de muitas empresas, inclusive já visitei uma central de telemarketing, e tenho amigos que trabalham com isso, tenho certeza que o corpo mole dos atendentes, a falta de educação e respeito, falta de treinamento e assessoria são os reais motivos pra que você não localize um ser humano que fale bem desse tipo de serviço.

Fazendo uma crítica construtiva... penso que talvez se as pessoas selecionadas recebesse um treinamento (de verdade!), e se verdadeiramente fosse com o objetivo de fazer o melhor e não apenas ganhar o dinheiro. Isso mudaria!

Alguém discorda? Deixe um comentário!

PS 1: A notícia original é de um site americano!

PS 2: A notícia foi transcrita na integra. Percebi que pode haver um erro, a palavra "probalidade". Porém enviei e-mail avisando o site e se for confirmado o erro, arrumarei em seguida!




Silvio Santos abre nova rede de varejo

Depois de quase 20 anos fora do varejo, o Grupo Silvio Santos prepara uma nova investida no comércio de móveis e eletrodomésticos. A idéia é aproveitar a marca forte do carnê do Baú da Felicidade, as facilidades de financiamento do Banco Panamericano, que pertence ao grupo, e a presença na mídia por meio do seu canal de TV, o SBT.

Batizada de Lojas do Baú Crediário, a nova rede terá 224 pontos-de-venda no Sudeste e Sul do País em três anos. Serão lojas com mais de mil metros quadrados, que vão comercializar, além dos tradicionais artigos de cama, mesa e banho, móveis e eletroeletrônicos. A meta é disputar o mercado com as gigantes do setor, como Casas Bahia e Ponto Frio, por exemplo.

A primeira loja foi aberta no início deste mês em Santo André (SP), com 1.460 metros quadrados, e já superou as metas de faturamento, conta o diretor de Varejo do Grupo Silvio Santos, Décio Pedro Thomé. No início do mês que vem, será inaugurada a unidade de Osasco (SP) e, na seqüência, a de São Miguel Paulista, na zona leste da capital paulista.

Fonte: Portal Exame
Link original da notícia, clique aqui.




quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Internet do Judiciário passará a usar o domínio .jus

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu, durante sessão plenária realizada na semana passada, que os endereços dos portais e sites dos órgãos do Judiciário passarão a usar o domínio .jus, em vez do atual .gov. A partir do dia 11 de outubro, será iniciada a migração das páginas e a expectativa é que o processo seja concluído o mais breve possível – o CNJ não estabeleceu uma data para o término da migração.

A medida visa integrar e padronizar os nomes eletrônicos de quase cem tribunais em todo o país, e, segundo o órgão, “contribuirá tanto para a segurança do sistema quanto para o aperfeiçoamento da celeridade jurisdicional e valorização da independência dos poderes”.

De acordo com a resolução nº 41, publicada no dia 14 de setembro, caberá ao CNJ gerir a implementação do modelo de gestão e o estabelecer as diretrizes e normas voltadas para a integração e unificação dos sites. Outra prerrogativa do conselho será a de acompanhar, analisar e controlar a concessão dos domínios às instituições do Judiciário.

Em 30 dias, a Secretaria Geral do CNJ estabelecerá as normas que orientarão a implementação do .jus, a estrutura da padronização e o gerenciamento do sistema, bem como a lista unificada dos endereços eletrônicos do Poder Judiciário. Os sites oficiais continuam a ser acessados pelo mesmo nome, mas quem digitar o novo endereço será remetido ao endereço antigo.

Os serviços de registro e publicação dos domínios “jus.br'' ficarão a cargo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), por meio do Núcleo de Informação e Coordenação do ponto BR (NIC.br). Caberá ao CNJ o monitoramento e autorização dos endereços.

O assessor institucional do CNJ, Pedro Paulo Lemos Machado, avalia que a iniciativa configura um grande ganho para o Judiciário, especialmente quanto à confiabilidade das informações nos portais. Ele explica que o CNJ obteve junto ao CGI.br a obrigatoriedade de agregar ao sistema DNSSEC o domínio "jus.br". Trata-se de um padrão internacional que amplia a tecnologia DNS e de um sistema de resolução de nomes mais seguro, reduzindo o risco de manipulação de dados e roubo de informações de terceiros. "Esse sistema coibirá os recorrentes ataques de hackers às páginas oficiais, invasões que trazem insegurança e abalam a confiabilidade dos serviços, como já aconteceu nos portais do TSE e STJ", ressalta. O mecanismo utilizado é baseado na tecnologia de criptografia de chaves públicas.

Para o uso adequado da ferramenta DNSSEC e a correta implantação dos novos domínios, o CNJ assegurou com o CGI.br a realização de cursos voltados aos técnicos dos tribunais de justiça do país. Em data ainda a definir, os treinamentos serão geridos pelo NIC.br, com três vagas destinadas a cada tribunal.

Segundo Machado, essa ação do CNJ retoma a resolução nº 12 do órgão, que criou o Banco de Soluções do Poder Judiciário, objetivando conferir mais celeridade à prestação jurisdicional, além de "auxiliar no processo de modernização da Justiça, a exemplo do Projudi, prerrogativa institucional do conselho".

Fonte: TI Inside
Link original da notícia, clique aqui.




Frase do dia

A diferença básica entre um homem comum e um guerreiro é que um guerreiro toma tudo como desafio, enquanto um homem comum toma tudo como bênção ou como castigo.
Carlos Castañeda, escritor, MEX




terça-feira, 25 de setembro de 2007

Compare as tarifas dos bancos Star-FEBRABAN

O projeto STAR (Sistema de Divulgação de Tarifas de Serviços Financeiros) da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) foi concebido para atender uma série de necessidades ligadas ao tema, tanto do público em geral, quanto de órgãos de defesa do consumidor, entidades governamentais e até mesmo das próprias instituições financeiras.

Entre os principais objetivos do sistema incluem-se efetivar uma padronização da nomenclatura dos produtos e serviços mais básicos e mais usados e, em especial, garantir maior transparência na forma de divulgação dos preços praticados. Assim, clientes e usuários do sistema bancário contarão com um mecanismo que permita comparar diretamente os preços dos serviços e produtos oferecidos pelas instituições financeiras participantes do sistema, fortalecendo ainda mais as bases da livre concorrência.

Fonte: FEBRABAN




Como tirar a borda das imagens do Blogger (blogspot)

Quer tirar a borda preta que fica em volta de todas as imagens que são colocadas nos posts?

Simples! Entre no Blogger. No painel clique em "Layout", e depois em "Editar HTML".

Localize no código a seguinte parte:

.post img {
margin:0 0 5px 0;
padding:4px;
border:1px solid $borderColor;
}

Altere onde está escrito "border:1px solid". Veja vai ficar assim:

.post img {
margin:0 0 5px 0;
padding:4px;
border:0px solid $borderColor;
}

Pronto, salve! Agora todas as imagens dos posts novos e dos antigos não terão mais borda.




Frase do Dia

As pessoas bem sucedidas nada mais são do que gente que desenvolveu o poder de acreditar em si mesmas e naquilo que realiza. Jamais se desvalorize.
David Schwartz




UOL é processado por falha na prestação de serviços

A falha na prestação de serviços pode custar ao provedor UOL o pagamento de indenização por danos morais. Isso porque o advogado André Henri Aron ajuizou ação contra o provedor após tentar resolver, sem sucesso, o seu problema junto à empresa. A ação tramita no Juizado Especial Cível do Fórum Central de São Paulo.

O advogado, que também é assessor de imprensa, argumentou que ficou impossibilitado de acessar os seus e-mails, inclusive os profissionais, por conta de um problema técnico da empresa. No pedido, ele alegou que utiliza os serviços do UOL há muitos anos e esta é a sua principal ferramenta de trabalho.

Ele ressaltou na ação que a matéria-prima do assessor é a notícia, a informação nova e objetiva e que esta deve chegar com agilidade aos meios de comunicação. Caso contrário, é considerada ultrapassada.

Assim, para tentar resolver o problema, ele entrou em contato com o serviço de assistência técnica da empresa. Não conseguiu resolver o assunto. A central de atendimento alegou que o problema era com a empresa de telefonia, que fornece o serviço de banda larga.

A empresa de telefonia encaminhou um técnico à sua residência e nenhum problema foi constatado, já que a falha era do provedor, segundo ele. Diante da informação, o autor ligou várias vezes ao UOL que, segundo ele, foi negligente no atendimento. O assessor de imprensa disse que foi ridicularizado e humilhado pelos atendentes.

Por isso, recorreu à Justiça. Fundamentou o seu pedido no artigo 273 do Código de Processo Civil e nos artigos 6º, 7º, 8º, 14 e 34 da Lei 8.078/1990 dos direitos do consumidor. Ele pediu 40 salários mínimos por danos morais.

Fonte: Revista Consultor Jurídico
Link original da notícia, clique aqui.

Tag: UOL no: e




segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Data de postagem pode ser obrigatória em contas

A Câmara examina o Projeto de Lei 1014/07, do deputado Celso Russomanno (PP-SP), que torna obrigatória a especificação de data de postagem nas contas enviadas pelo correio. Para o autor, a medida é necessária para "coibir os abusos e arbitrariedades praticados pelas empresas em sua relação de cobrança com os consumidores".

O parlamentar ressalta que a ausência de regulamentação "produz situações absurdas, como as contas que chegam aos consumidores em datas posteriores ao vencimento das faturas, o que implica prejuízos, pagamento de multas e até mesmo a inclusão do nome dos consumidores nos serviços de proteção ao crédito".

A proposta define que as correspondências de cobrança de qualquer espécie deverão conter, em caracteres latinos e algarismos arábicos, a data de sua postagem e a data de sua entrega.

Prazos de postagem
Russomano lembrou que as ocorrências são decorrentes de prazos diferenciados de postagem para diferentes localidades ou de atrasos nos procedimentos operacionais da própria executora do serviço, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. "O fato é que o consumidor não tem controle sobre esses aspectos, mas ao receber uma conta vencida, nada mais pode fazer."

Tramitação
O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Defesa do Consumidor; de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara
Link original da notícia, clique aqui.




Consumidores sofrem para reclamar de produtos e serviços

Os consumidores brasileiros enfrentam muitas dificuldades na hora de reclamar de um serviço. As atendentes que tentam resolver o problema nem sempre estão preparadas. A sensação do consumidor que quer cancelar um serviço é de que a atendente foi treinada para cansá-lo e fazê-lo desistir.

Há três meses, a estudante Andréa Munhoz Ramos tenta cancelar a linha do celular. Ela adquiriu o aparelho em um plano de 12 meses de fidelidade, mas quando liga é informada de que o contrato é de 18 meses.

“Você alega que não, que quando você comprou o celular disseram que eram 12 meses. Eles me falam: ‘Ah, então passaram uma informação incorreta”, comenta a estudante.

O advogado André Aron chegou a ter o telefone bloqueado na central de atendimento do provedor de internet porque reclamou. Abriu um processo na Justiça e quer uma indenização por danos morais.

“Eu corria o risco de ser mandado embora desse trabalho, porque a minha chefia me cobrou, inclusive, que eu estava perdendo bastante tempo ligando do escritório para resolver esse problema”, comentou o advogado.

Além do tempo, o consumidor perde também dinheiro ao telefonar para alguns serviços de atendimento. Em São Paulo, muitas empresas acabaram com o canal de comunicação gratuito, o 0800.

Segundo os órgãos de defesa, a prática não é abusiva, mas o cliente não pode ser obrigado a fazer ligações interurbanas para ser atendido. A empresa precisa oferecer um número local. Caso não tenha, o custo se soma ao do produto e fere os direitos do consumidor.

“Sempre que o consumidor tiver algum problema com relação ao atendimento, é bom ele ter anotado a hora, o dia do contato, o nome de quem o atendeu e o protocolo do contato. Normalmente é feito esse protocolo. Fora isso, as empresas, a maioria delas, indicam que as ligações são gravadas. Então, em uma eventual discussão judicial, o consumidor pode pedir a gravação para comprovar aquilo que ele solicitou e o descaso ou o desrespeito”, alerta a advogada do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Maira Feltrin.

O Idec analisou a qualidade do atendimento de oito bancos nacionais. O resultado foi considerado desanimador. Foi ainda pior quando o cliente tentava resolver um problema que não estava nas opções do atendimento automático de voz.

A maioria dos bancos não tem canais para solução ou para a comunicação imediata de dúvidas. Além disso, apenas três dos oito bancos pesquisados responderam a uma pergunta enviada pela internet, mas a primeira resposta também só chegou com quatro dias de atraso.

Fonte: G1
Link original da notícia, clique aqui.




Botões de favoritos e compartilhamento (Social Bookmarking)

Eu já tinha visto em vários blogs icones no rodapé dos posts com link direto para favoritos (yahoo, netscape, technorati, blogblogs...) e compartilhamento de post (rec6, linkk, digg...), mas não sabia como colocar no meu blog. Foi que eu achei o blog http://net-dinheiro.blogspot.com e lá achei o código para 8 links e a explicação de como instalar.

Como sou novo aqui no blogger, fiquei analisando o código, e lembrei que existiam mais do que aqueles 8 links. E comecei a montar um "rack" maior, por enquanto com 30 botões, que facilitam e agradam a uma grande maioria.

Coloquei no meu blog, testei e agora vou divulgar aqui pra que outras pessoas possam usar.

O código só funciona para BLOGGER (blogspot, modelo novo), não funciona no wordpress ou outros!

Os botões são para BlogBlogs, Technorati, Google Bookmarks, Yahoo, Ma.gnolia, Stumbleupon, Blinklist, Furl, Simpy, Spurl, Reddit, Segnalo, Bluedot, Ueba, Rec6, Linkk, Linkto, Websapiens, Ouvi dizer, Do melhor, Jasabia, Eu curti, Subindo, Linkloco, No clique, Med News, Blogosfera, Do tipo, Fixolas e Planet News.

Então vamos a explicação de como instalar no seu blogger:

1º - Logado no blogger, clique na guia "Modelo" e depois "editar HTML";

2º - Faça um backup, porque se der algum erro é só voltar o modelo salvo. Clique em "Baixar modelo completo" e salve o arquivo;

3º - Depois marque a caixa "Expandir modelos de widgets";

4º - No código localize a parte "<p class='post-footer-line post-footer-line-3'/>";

5º - Clique aqui, uma nova janela abrirá, com um código. Selecione tudo, cole no bloco de notas, e salve no seu computador.

6º - A primeira alteração no código (no bloco de notas) deve ser feita. Somente no primeiro parágrafo, a parte do Blogblogs, você deve digitar o endereço do seu blog a mão. Coloque na parte em vermelho o endereço do seu blog.

Exemplo:

<a href='http://www.blogblogs.com.br/my/gadgets/fave?url="endereço do seu blog"' rel=...

Atenção observe que no final da palavra blog tem duas aspas, uma dupla e outra simples. Tire as aspas duplas (mantenha a simples ' ) e não use a barra (/) no final do endereço. No meu caso fica assim:

<a href='http://www.blogblogs.com.br/my/gadgets/fave?url=http://gregoripavan.blogspot.com' rel=...

7º - Copie todas essas imagens e suba para o seu servidor. Para salvar clique com o botão direito do mouse e depois "Salvar imagem como...".

8º - Pegue o endereço correto de cada imagem para inserir no código (bloco de notas). Onde está escrito "endereço da imagem aqui", em vermelho.

Exemplo:

<a expr:href='"http://technorati.com/faves?add=" + data:blog.homepageUrl' target='_blank'><img src='endereço da imagem aqui' alt='Adicionar ao Technorati' border='0' width='16' height='16' /></a>

No meu caso ficaria assim:

<a expr:href='"http://technorati.com/faves?add=" + data:blog.homepageUrl' target='_blank'><img src='http://gregoripavan.googlepages.com/racktechnorati.gif' alt='Adicionar ao Technorati' border='0' width='16' height='16' /></a>

9º - Depois de fazer as alterações no código, salve, selecione e copie. No blogger, abaixo da tag "<p class='post-footer-line post-footer-line-3'/>", cole todo o código do bloco de notas.

Exemplo:

<p class='post-footer-line post-footer-line-3'/> <span class='favoritos'> <center> Adicione aos Favoritos Compartilhe<br/> <a href='http://www.blogblogs.com.br/my/gadgets/fave?url=http://gregoripavan.blogspot.com' rel='alternate' target='_blank'><img src='blogblogs.png' alt='Adicionar ao Blogblogs' border='0' width='16' height='16' /></a> ...

10º - Clique no botão laranja "Salvar modelo", e pronto!

Dicas:

Observe que cada botão está em um parágrafo e começa com "<a expr..." e termina com "...</a>. Se você não quiser usar algum dos 30 botões é só apagar a parte correspondente.

Se você não quer que esses botões no rodapé de cada post apareça na pagina inicial, adicione no começo a tag "<b:if cond='data:blog.url != data:blog.homepageUrl'>" e no final feche com "</b:if>".

Exemplo:

<p class='post-footer-line post-footer-line-3'/> <b:if cond='data:blog.url != data:blog.homepageUrl'> <span class='favoritos'> <center> Adicione aos Favoritos Compartilhe<br/> <a href='http://www.blogblogs.com.br/my/gadgets/fave?url=URLDOSEUBLOG' rel='alternate' target='_blank' title='Adicionar ao BlogBlogs'><img alt='Adicionar ao Blogblogs' border='0' src='http://blogandopordinheiro.googlepages.com/blogblogs.png'/></a>

...

<a expr:href='"http://www.stumbleupon.com/submit?url=" + data:post.url' target='_blank' title='Adicionar ao StumbleUpon'><img alt='Adicionar ao StumbleUpon' border='0' src='http://blogandopordinheiro.googlepages.com/stumbleupon.gif'/></a> </center> </span> </b:if>

Também pode ser mudado a parte onde está escrito "Adicione aos Favoritos Compartilhe", você pode colocar o texto que quiser.

No código falta ainda o diHitt porque deu um problema e ainda não consegui resolver. Colocarei em breve.

Se souber de mais algum deixe um comentário que eu adicionarei ao código.




sábado, 22 de setembro de 2007

Guia: Reclamar UOL / Teleperformance

Se você, como eu, não consegue ser atendido pelos canais tradicionais de atendimento do UOL, que são:

Telefones: 4003 2002 e 0800 771 7774
E-mail: faleconosco@uol.com.br
Formulário Web: https://sac.uol.com.br/info/enviaemail.jhtm
Chat: http://tc.batepapo.uol.com.br/uol-sac.jhtm

E que também não consegue mais recorrer sequer ao Ombudsman do UOL por esse ter sido encerrado.

O atendimento do provedor UOL (Universo Online) é feito por uma empresa terceirizada, no caso, a Teleperformance.

Aqui estão algumas outras maneiras por onde você pode tentar atendimento.


Provedor UOL

Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1.384 - Jardim Paulistano - São Paulo/SP
CEP: 01452-002
Telefone: 11 3038-8100
CNPJ 001.109.184/0004-38
Site: http://www.uol.com.br

Presidente: Luiz Frias
Telefone: 11 3038-8111

Diretor Geral: Marcelo Epstejn
Telefone: 11 3038-8161
E-mail: diretorgeral@uol.com.br

Diretora de Relacionamento: Myrian Naime
Telefones: 11 5627-3102 | 11 5627-3074 | 11 5628-3128
E-mail: mnaime@uolinc.com



Teleperformance Call Center

Endereço: Av. Angélica, 2029 - Consolação - São Paulo/SP
Telefone: 11 3636-4000
CNPJ 006.975.199/0001-50
Site: http://www.teleperformance.com.br

Presidente: Paulo César Salles Vasques

Coordenador de Operações: Eliandro Borghesan
E-mail: e.borghesan@teleperformance.com.br
Telefone: 48 3231-2421

Gerente de Operações - Atendimento UOL: Lidia Vital
E-mail: lidiavital@uol.com.br

Outros Contatos:
Orlando Silva de Souza - orlando.souza@teleperformance.com.br
Waldonir João Mendes Junior - waldonir.mendes@teleperformance.com.br
Paulo Jose Cipriano - p.cipriano@teleperformance.com.br

 


Reclamações também podem e devem ser encaminhadas para as editorias de Defesa do Consumidor dos jornais:
Jornal Agora São Paulo: defesaagora@uol.com.br
Jornal Estado de São Paulo: sprec@estado.com.br e consumi@estado.com.br
Jornal da Tarde: advogado.jt@grupoestado.com.br
Jornal Folha de São Paulo: cidadesua@uol.com.br


Essas informações devem ser usadas com responsabilidade!

Este post foi modificado em 30/09/2010 às 18h00 após uma notificação do UOL.




quinta-feira, 20 de setembro de 2007

UOL = Ignóbil

Como se já não fossem excessivas e repugnantes as atitudes tomadas pelo provedor UOL, no dia seguinte - 17 de setembro de 2007 - eu ligo o computador. E conecto-me a internet.

Abro o outlook que começa a puxar as mensagens de vários e-mails configurados, entre eles dois do UOL (gregoripavan e gregori-pavan). De repente abre uma janela de aviso, comunicando que a senha do meu e-mail (gregori-pavan) estava incorreta. Preciso dizer que automaticamente já imaginei o que seria, né! Mas fui com calma, fechei o outlook, e abri o internet explorer para tentar acessar via webmail (http://email.uol.com.br). Evidentemente que como uso muuuiiito o computador o usuário e a senha já estavam registrados, então tive apenas o trabalho de selecionar o usuário e apertei OK.

Apareceu a mensagem "Por favor, verifique seu usuário e senha. Atenção com as teclas 'Caps Look' e 'Shift', pois o UOL diferencia letras maiúsculas e minúsculas". Mais uma vez me bateu aquele sentimento, "tenho certeza que isso é coisa do prov...". Mas com toda a paciência e realmente contra a minha vontade, liguei para o 0800-7717774, a maravilhosa, esplendorosa e acima de tudo eficiente Central de Atendimento do UOL. Quem lê só essa ultima frase é bem capaz de acreditar... rs.

Fui atendido pelo Fernando Bastos, que logo confirmou que não havia nenhum problema técnico. Ele queria porque queria me fazer acreditar, que a senha do meu e-mail tinha mudado sozinho (claro, ele deve acreditar em político... rs). Digo isso porque, fui eu que desliguei o computador na noite anterior e fui eu que liguei no dia... me parece obvio né! Ah claro, também pode ser que alguém tenha ligado na central com os meus dados e mudado a senha, pouco provável mas é uma possibilidade, que o Fernando mesmo descartou, porque não há registro.Você ainda acha que pode ter havido algum mal-entendido? OK! Continuando...

Então o Fernando deu a solução de fazer uma nova senha (THGP28). Abri a página do e-mail UOL e digitei a mão com muita atenção o usuário e a nova senha. Nada. Tentei no outlook e nem assim funcionou. O que mostra que realmente o problema não era a senha em si, quem sabe um bloqueio do e-mail. Então como não tinha o que argumentar o Fernando começou a desconversar, pedindo pra reiniciar o pc, limpar cookies/histórico/páginas off-line, criar uma nova conta no outlook, tudo o que não tinha a ver com o problema. Foi quando solicitei falar com a supervisão. Eis que fico mais de 10 minutos aguardando o supervisor Ronaldo Teixeira, que só ficou enrolando, falando de coisas que também não tinham nada a ver com a situação. Pelo menos ele assumiu que o atendente errou ao pedir que eu refizesse uma nova conta no outlook, e depois desligou na minha cara. Então sai do computador por uma meia-hora, quando voltei tentei de novo e "aparentemente" o e-mail tinha voltado ao normal.

Que fique claro que nenhuma explicação foi dada sobre o que teria acontecido com o e-mail.

Entrei no site, mudei a senha padrão para a mesma que tava antes, li os e-mails, fiquei um pouco no computador, depois coloquei o computador pra reiniciar e sai. Uma hora depois voltei no computador, abri o discador (já que eu havia reiniciado) e não conectava! Na hora pensei PQP, haja paciência!

Liguei para o provedor fui atendido pelo Guilherme Morais, que depois de um tempo percebeu que o problema era que o plano contratado no provedor, não era o mesmo que na Telefônica. O meu plano speedy é Light 250kbps e no provedor estava registrado que eu tinha speedy NEGÓCIOS 1.2Mbs. Por isso eu não conseguindo conectar. Pedi pra que ele não alterasse nada, e desliguei. Liguei novamente falei com o atendente Paulo Silva, e perguntei qual era o plano que estava registrado, ele confirmou Speedy Negócios 1.2 Mbs. Pedi de novo pra que não alterasse nada e desliguei.

Novamente liguei falei com o Nilmar Oliveira, mais uma vez perguntei, e mais uma vez foi confirmado. Perguntei que dia e hora tinha ocorrido a alteração. Ele respondeu que dia 17/09/07 (observe, o mesmo dia) às 12:12. Ai eu preciso assumir, mesmo que seja feio, que nessa hora eu ainda estava dormindo! Seria impossível que eu tivesse ligado para o provedor. Outra coisa, a minha primeira ligação para o provedor foi com o Fernando Bastos às 13 horas e 26 minutos!

Ou seja, tratava-se mais uma vez de um procedimento escuso e sem explicação ocorrido no provedor contra mim. Pedi pra falar com a supervisão, o Silvio Pontes me atendeu, claro que depois de uns 10 minutos, e não soube explicar o que tinha ocorrido, mas pelo menos confirmou que o primeiro registro telefônico do dia foi às 13:26. Educadamente tive que engolir mais essa, e pedi pra que retornassem o meu plano anterior. Sem comentários né!

Tag: UOL no: e




quarta-feira, 19 de setembro de 2007

UOL = Absurdo

Estou tendo problemas de atendimento (absurdos) e problemas técnicos (ridículos) o que me motivou a relatar os fatos no meu antigo blog (http://gregori-pavan.blog.uol.com.br). Fui colocando uma série de post, "UOL = Desrespeito", "UOL = Humilhação", "UOL = Descaso", entre outros.

No dia 14 se setembro de 2007, dois dias depois da publicação do "UOL = Descaso", às 11:53:49 de acordo com o site de monitoramento Internet Seer, o meu blog saiu do ar. Apresentando o seguinte erro "403 Forbidden". Recebi esse alerta pelo outlook que normalmente fica aberto enquanto eu estou no computador. Segundos depois foi o WatchMouse. Imediatamente entrei no meu blog. E realmente estava fora do ar.

Imediatamente fiquei preocupado com os arquivos do blog, informações de quase 3 anos. Então entrei pelo site de postagem, para confirmar se a página tinha sido tirada do ar (mas os arquivos estavam guardados) ou se o blog havia sido deletado.

E tive a confirmação que eu não queria. O blog havia sido deletado! Posts, imagens, template... tudo.

Por alguns minutos fiquei sem reação com tamanha atitude desrespeitosa, medíocre, autoritária, ridícula e antiética. De certa maneira humilhante e vexatória.

Logo em seguida comecei a agir. Mandei um e-mail para um jornalista do caderno Link e pra outros cadernos do jornal O Estado de São Paulo (sprec@estado.com.br e consumi@estado.com.br), do qual anteriormente eu já havia entrado em contato fazendo reclamações do UOL. Liguei e mandei e-mail para a redação do Jornal da Tarde (advogado.jt@grupoestado.com.br). Mandei e-mail também para os jornais Agora São Paulo (defesaagora@uol.com.br) e Folha de São Paulo (cidedesua@uol.com.br).

Entrei no site de defesa do consumidor o Nuncamais.net. E complementei as reclamações que eu já tinha feito "UOL = Humilhação" e "UOL = Absurdo".

Também já tinha feito algumas reclamações no site Reclameaqui e atualizei. São essas "UOL = Desrespeito", "UOL = Humilhação", "UOL = Absurdo", "UOL = Ignorância" e "UOL = Será coincidência?".

Enviei e-mail para o UOL (diretorgeral@uol.com.br, sos@uol.com.br, equiperetorno@uol.com.br, ombudsmandouol@uol.com.br e faleconosco@uol.com.br) para saber o que é que estava acontecendo e o porque o meu blog foi apagado.

Isso já eram 17 horas. Enquanto aguardava ser enrolado por telefone pelo UOL. Tive a idéia de tentar republicar o blog e ver se voltava. Consegui.

Porém os arquivos, posts... nada voltou. No que eu fui tentar achar o template que eu tinha backup no pc, o que não demorou nem 60 segundos, dei um F5 na página e inacreditavelmente, tiram do ar de novamente e voltou a apresentar a mensagem "403 Forbidden".

Logo começaram as chegar as respostas dos e-mails enviados para o provedor. A primeira mensagem foi do Ombudsman do UOL:

"Prezado Gregori,
Esclarecemos que o blog foi removido pela área de segurança pois estava em desacordo com as regras de uso do serviço, sendo que a consulta é pública através do endereço abaixo: 
http://blog.uol.com.br/stc/regras_idx.html 
Esclarecemos que esta decisão não tem a relação com as dificuldades anteriores relatadas, que já foram resolvidas. 
Atenciosamente, Central de Relacionamento UOL"

Não entendi, alias entendi, pra mim estava mais do que claro que o que tinha acontecido tinha sido uma retaliação sorrateira das minhas reclamações fundadas e bem explicadas. E nunca achei que receberia tal desculpa medíocre. De qualquer maneira mantive a calma e retornei o e-mail querendo saber quais regras tinham sido quebradas.

Vinte e seis minutos depois recebi um e-mail do Diretor-Geral dizendo:

"Prezado Gregori,
Removemos o blog por quebra das seguintes regras:
 
- banners publicitários (havia banners de empresas no rodapé e do Itaú no topo);
- material calunioso;
- afirmações injuriosas ou difamatórias;

Ficamos à disposição.
Atenciosamente, Central de Relacionamento UOL"

Pensei, banners publicitários? Eu fazia questão de nem colocar o Google Adsense, porque achava que o site ficava poluído. Observei que se tratava do relógio do Banco Itaú. Relógio esse que eu tirei da própria página inicial do UOL e coloquei no meu blog na época do "Live Earth" porque o banco apoiava o evento e continuou no blog porque eu gostei. Mas eu não recebia nada pra ter aquele relógio no blog. E no rodapé tinha uns ícones minúsculos de algumas empresas das quais eu gosto (DELL, IBM...) e também não recebia nada por isso. 

O que eu mais fiquei espantado é com a acusação de "material calunioso, afirmações injuriosas ou difamação". Não entendi o porque! O matéria que tava no blog erra esse que esta nos post abaixo, na integra, como estava no blog. Tem alguma invenção, calunia, injuria ou difamação?

O que tem de mais falar que a "Excelentíssima Diretora de Relacionamento do UOL", Sra. Myrian Naime (mnaime@uolinc.com) falou comigo como se tivesse na feira. É verdade, pena que não tenho a ligação gravada. Aliás nem poderia ter gravado a ligação porque é ilegal. Mas o provedor tem a ligação gravada, pode pedir pra ouvir! Ela me ligou, começo e terminou a conversa em tom intimidador e desrespeitoso! E não foi só ela não, já falei com varias pessoas lá que se preocupam mais em assuntos não relacionados ao problema do que em trabalhar.

Não ta convencido ainda? Ligue pro provedor! Posso garantir que o que eu to relatando é a mais pura verdade. Tanto é verdade que o provedor apagou o meu blog. O que eu relato é apenas a verdade e o reconhecimento do trabalho do provedor UOL. De qualquer maneira aqui vai outra prova. Esse print screen é de um post do blog "Ombudsman do UOL" que relatava uma reclamação sobre atendimento no dia 04/09/07. E veja a indiscutível afirmação da minha querida Myrian Naime. Isso foi ela que disse, não sou eu que to dizendo. Tire suas próprias conclusões!

Mas continuei com a pulga atrás da orelha em relação a acusação de publicidade, jurava que já tinha visto vários blogs da própria redação e de convidados do UOL com banners publicitários. Fui atrás, adivinha?

http://cienciaemdia.zip.net

http://josimarmelo.blog.uol.com.br

http://marcelotas.blog.uol.com.br

http://teojose.zip.net

Esse ultimo e o do josimar nem com a imagem reduzida da pra deixar de notar. Deixo claro que eu não tenho nada contra esses blogs ou as pessoas que nele escrevem. E também é importante deixar claro que esse são apenas quatro, tem muitos outros.

Então enviei e-mail (quebraderegras@uol.com.br, sos@uol.com.br, equiperetorno@uol.com.br, ombudsmandouol@uol.com.br, diretorgeral@uol.com.br, lidiavital@uol.com.br e mnaime@uolinc) questionando o porque os próprios blogs da redação do UOL ou de seus convidados, estavam desrespeitando as regras.

Dia seguinte (17/09/07) recebo um e-mail do ombudsman em relação aos blogs citados dizendo:
"Os 'Blogs da Redação' estão dentro de diferentes estações e seguem o padrão publicitário do portal. O Blog do Téo José possui banner publicitário por ter contrato firmado com a Gerência de Parcerias."

Ou seja, faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço. Reforçando ainda mais a minha opinião de que as regras só valem quando eles querem e pra quem eles querem! O mais engraçado é ler no regulamento que não pode ter "publicidade" e o blog do Teo Jose tem até contrato de publicidade. Puxa!

Mandei e-mail também questionando o porque as regras só valem pra mim. E o que tinha acontecido com os arquivos do meu blog. Essas duas informações não foram respondidas pelo provedor! Estranho não?

Envie pedido de informação para o PROCON referente ao caso e recebi a resposta:

"Caro Gregori,
Entendemos que o seu contrato não poderia ter sido suspenso, sem que o fornecedor tivesse base legal para fazê-lo e o senhor tivesse sido previamente comunicado. Esclarecemos que de acordo com o inciso III, artigo 6º do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8078/90), é direito básico do consumidor: "III - a INFORMAÇÃO adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentam".
Esse direito básico está previsto em outras disposições do mencionado Código. Caso o senhor não obtenha os devidos esclarecimentos sobre o ocorrido, junto ao próprio provedor, sugerimos que apresente cópia da documentação envolvida (os comprovantes que tiver sobre o caso) em um dos nossos canais de atendimento.
Cordialmente. Joyce T. Mesquita Pluskat, Atendimento Eletrônico"

Não é preciso dizer muito né? Acho que as informações são suficientes para provar que o provedor fez de propósito e porque quis. Mostrando exatamente o que ele é!

Achou que terminou por ai? Não terminou, aliás piorou. Aguarde o próximo post!

Tag: UOL no: e