sexta-feira, 19 de outubro de 2007

O GPS já foi um segredo militar?

Sem dúvida que de vez em quando ainda se espanta com aquele pequeno aparelho que, dentro do carro ou no seu bolso, o leva exatamente ao destino que procura. Mas sabia que tem consigo um pouco da história da Guerra Fria?

História
GPS é uma sigla inglesa que significa Sistema de Posicionamento Global. No início da década de 70, as dificuldades sentidas pelos soldados norte-americanos no Vietnam revelaram a necessidade de aperfeiçoar os sistemas de localização existentes. Na época, recorria-se à rede terrestre LORAN, herdada da II Guerra Mundial, e ao primitivo sistema Transit, que, concebido em 1959, era formado por apenas seis satélites, o que limitava bastante o seu uso.

Em 1978, foi então colocado em órbita o primeiro de uma constelação de 31 novos satélites chamada NAVSTAR - é esta rede que ainda hoje utilizamos. O sistema é rigorosamente controlado pelo Departamento de Defesa Norte-americano, mas Ronald Reagan autorizou o seu uso por parte da aviação civil em 1983 depois do abate acidental de um avião comercial sul-coreano sobre a União Soviética. Disponibilizado à comunidade internacional em 1995, o sinal civil, denominado GPS, é propositadamente degradado de modo a atribuir uma localização menos exata do que o militar.

Apesar de nascido no seio bélico, o GPS expandiu-se enormemente e é hoje fundamental em inúmeros sectores de atividade, com destaque para a engenharia, geografia, transportes e desporto. Paralelamente, a sua utilização lúdica tem vindo a ganhar forte terreno, não sendo difícil de imaginar um aumento exponencial de popularidade dentro dos próximos anos.

Curiosidades

  • Até à data, o sistema teve um custo total de 14 mil milhões de dólares.
  • Cada satélite circunda a Terra duas vezes por dia a uma altitude de 20 000 km e a uma velocidade de 14 000 km/h.
  • Para manter a sua precisão, todos os satélites levam a bordo um relógio atômico.
  • A distância é calculada por triangulação, determinando o tempo que um sinal de rádio emitido por pelo menos dois satélites demora a chegar ao nosso receptor GPS. O resto é simples geometria.

Fonte: Maxideia




blog comments powered by Disqus