quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Isso é Telecomunicação?

Leia esses dois absurdos:

"Sobra pouco para o atendimento
O setor de telefonia sempre foi muito criticado pela qualidade do atendimento. Hoje, durante o Futurecom 2007, o presidente da Vivo, Roberto Lima, explicou os motivos. De acordo com ele, uma parcela significativa da receita das operadoras – cerca de 44% - é engolida pelos impostos.
O executivo ressaltou que uma parte dessa quantia poderia ser utilizada para que as empresas reinvestissem em outras áreas. Além desses 44% de impostos, as receitas são dividas da seguinte forma: 8% para ações comerciais, 8% para rede e sistemas de informação, 17% para depreciação e amortização de juros, 12% de subsídios e apenas 3% para o atendimento aos clientes. “É muito pouco”, diz o presidente da operadora.
Com a possível chegada da terceira geração de telefonia celular (3G), o atendimento será muito mais complexo em virtude da quantidade de recursos que a tecnologia permitirá. 'Serão serviços cada vez mais sofisticados, o treinamento de um vendedor de aparelhos com tecnologia 3G não é o mesmo de hoje, tudo será mais complexo', finaliza o executivo."
Fonte: Consumidor Moderno

É inacreditável que o presidente de uma empresa possa dar tal declaração. Jogar a própria incompetência em cima dos impostos.

Eu sei como solucionar isso, fazendo menos propagandas milionárias - propagadas essas pra tentar mostrar uma imagem de boa empresa, que todo mundo sabe que não é. Para de gastar com subsídios de aparelhos, também seria uma boa. Fazer funcionar o sistema de cobrança, sendo assim não terão que devolver os valores cobrados indevidamente em dobro, medida prática, de efeito prático. Usuário percebe mudança e a empresa melhora sua imagem. E não falta dinheiro para atendimento, o que acontece é que ele é desperdiçado. Por falar nisso estou bem chateado com você, Marília Gabriela!

De qualquer maneira, você acha mesmo que se por exemplo os impostos fossem cortados pela metade a operadora investiria mesmo em atendimento?
Me engana que eu gosto!


"A visão dos diferentes clientes
No vídeo, pessoas felizes apertam as teclas de seus telefones ao som de 'Yesterday' tocada num tecladinho de churrascaria. No meio de uma nota mais alta, música e vídeo são interrompidos. 'Esse não é o tipo de consumidor que temos no mercado hoje', afirma Antonio Carlos Valente da Silva, presidente da Telefônica. Segundo ele, o consumidor atual quer muito mais do que falar ao telefone: quer saber os resultados dos últimos jogos, das eleições, as variações da bolsa de valores e do câmbio. O desafio, diz Valente, é saber como construir uma empresa nesse novo contexto de consumidor.
O executivo afirma que a Telefônica está passando por um processo muito grande de transformação. 'Trata-se de mais do que novas tecnologias ou modelos de negócios: é uma nova empresa', diz.
No vídeo seguinte, pessoas compram pela TV, lêem jornal no telefone celular, jogam games, ouvem música. 'Estamos vivendo a transição de uma empresa que viveu por muito tempo o 'yesterday', afirma Valente. 'Os clientes foram tratados por muito tempo como se fossem iguais'. Para o executivo, a mudança maior consiste justamente em passar a tratar os clientes de forma diferenciada. Para isso, deve identificar subsegmentos além dos tradicionais 'residencial' e 'corporativo', e então passar a oferecer soluções para cada um deles.
Segundo Valente, a operadora lançou 8 produtos nos últimos 12 meses. Boa parte deles são combinações de produtos pré-existentes; outros, como a TV por assinatura, são novidade. A empresa investe agora em seu próprio serviço de TV Digital. 'Vamos ajudar a mudar o conceito de TV por assinatura no Brasil', afirma."
Fonte: Consumidor Moderno

Engraçado, a quantos anos a Telefônica está passando por transformação? E olha que eu não sou tão velho assim. Aliás o mais engraçado ainda, é que cada vez fica pior! Usam apenas de desculpa para tampar a incompetência.

Nossa, "uma nova empresa", quem ouve isso é bem capaz de acreditar. Por enquanto acho que o Brasileiro de maneira geral, procura um serviço que funcione e que tenha preço compatível. Não imagino nenhum cliente da telefônica ligando para um determinado número pra saber o resultado dos último jogos. O que vejo são milhares de pessoas ligando para um central de atendimento, sendo recebidos por pessoas pouco profissionais e sem formação e informação nenhuma, reclamando de linhas que não funcionam, e de tarifas e cobranças inexistentes. 

Ah,  observou o detalhe né?, Vivo & Telefônica, ou seria Vivo = Telefônica, ou ainda VivoTelefônica. Pelo menos uma sintonia de pensamento eles tem né! 




blog comments powered by Disqus