quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Cisco Systems é suspeita de fraude

Polícia Federal, Receita Federal e Ministério Público Federal deflagraram ontem (16/10) a operação Persona, em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e também nos Estados Unidos. Foram cumpridos pedidos de prisão temporária, e entre os presos estão Pedro Ripper (presidente da Cisco no Brasil), Carlos Carnevali (fundador da Cisco no Brasil e ex-presidente na América Latina) e funcionários da Mude, distribuidora de produtos da Cisco.

As investigações, que começaram a dois anos, apontam fraudes em importações, ocultação de patrimônio, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, sonegação fiscal e evasão de divisas. O esquema montado subfaturava software e hardware, usava laranjas e empresas em paraísos fiscais beneficiando a americana Cisco, sua subsidiaria e suas distribuidoras no Brasil, em cinco anos foram movimentados aproximadamente US$ 500 milhões em valores declarados de produtos para a multinacional americana e um volume mensal de 50 toneladas de mercadorias, o que pode gerar lançamentos tributários no montante de R$ 1,5 bilhão.

A Cisco Systems, companhia americana com sede no Vale do Silício, fundada em 1984 por estudantes da Universidade Stanford é líder mundial no segmento de serviços e equipamentos de alta tecnologia para redes corporativas, para internet e para telecomunicações, com um faturamento estimado esse ano de 35 bilhões de dólares e um valor de mercado de 197 bilhões de dólares. Segundo a revista americana Business Week é a 18ª marca mais valiosa do mundo. Também é dona da marca Linksys.

A operação envolveu cerca de 650 agentes, que ao todo cumpriram 93 mandados judiciais de busca e apreensão e 40 ordens de prisão temporária, expedidos pela Justiça Federal de São Paulo. Foram apreendidos US$ 10 milhões em mercadorias, 18 veículos, R$ 250 mil e US$ 290 mil em espécie.




blog comments powered by Disqus